INSS: Mudanças na idade mínima para aposentadoria

0

De acordo com a Reforma o INSS começou a pedir mais seis meses de contribuição em três categorias de aposentadorias, no artigo de hoje vamos mostrar como vai ficar cada caso nas novas regras de transição do INSS que já estão vigorando. 

Se comparar os cálculos das regras antigas, os novos cálculos sofreram mudanças mais rígidas para os beneficiários. 

Idade mínima progressiva ( para quem cumprir os requisitos neste ano)

Quem completar essas condições em 2020 serão exigidos 61 anos e seis meses de idade para os homens + mínimo de 35 anos de contribuição e 56 anos para mulheres + 30 anos de contribuição. 

Aposentadoria por pontos (Requisitos 2020)

Os requisitos para as regras de transição por pontos também aumentaram, sendo.

Mulheres: 87 pontos, com soma idade + anos de contribuição. 

Homens: 97 pontos, com soma idade + anos de contribuição.

Aposentadoria por idade (Exigências 2020) 

Para esta categoria é necessário ter 60 anos e seis meses de idade e 15 anos de contribuição, somente para as mulheres, antes da mudança era necessário 60 anos. 

A Reforma da previdência não alterou os requisitos desta categoria para os homens, sendo assim eles ainda podem solicitar o benefício aos 65 anos de idade e 15 anos de contribuição. 

Mulheres: 60,5 anos, com tempo de contribuição de 15 anos.

Homens: 65 anos, com tempo de contribuição de 15 anos. 

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Por: Laís Oliveira