Atualmente o mundo está passando por um período muito difícil, incluindo o Brasil e sua economia. Desta forma, os empresários estão tendo que se reinventar para manter suas empresas, e isso engloba os Microempreendedores Individuais (MEI).

O MEI vem sofrendo uma grande queda em seu faturamento devido ao isolamento social e, com isso, alguns deles estão recorrendo ao e-commerce. As lojas virtuais estão ajudando aos pequenos empresários a se manterem durante este período, assim estão percebendo que este tipo de negócio pode continuar mesmo depois da pandemia.

Como ter uma loja virtual como MEI?

Se você já possui um comércio eletrônico, ou mesmo que ainda vá abrir o seu, saiba que existem diversas maneiras de legalizá-lo, e uma delas é como MEI.

Porém, para ser MEI, existem algumas regras, como a de não exceder o faturamento anual de 81 mil, o que dá em torno de R$6.750,00 por mês. Portanto, é importante saber se o seu negócio não ultrapassa esse limite.

Para se enquadrar no MEI como vendedor online, você deve observar a lista de atividades permitidas para esta modalidade. 

Também é importante que você invista no marketing digital de seu negócio, buscando dicas para alavancar o e-commerce, utilizando de ferramentas e estratégias de marketing digital faz com que a empresa seja mais bem vista e visitada.

Principais vantagens e desvantagens do MEI para loja virtual

Existem vendedores virtuais que não são formalizados, não possuindo um CNPJ. Porém, existem muitas vantagens em formalizar sua loja virtual através do MEI.

Uma das vantagens de estar legalizado dentro do e-commerce, é a emissão de Notas Fiscais. Este é um direito do consumidor, e um dever do empresário, portanto, estando legalizado, você pode fazer essa emissão sem burocracia. 

Além do mais, para emissão do produto pelos Correios ou transportadoras, é obrigatório que a Nota Fiscal esteja acompanhando o produto, para que qualquer problema de extradição possa ser resolvido mais facilmente, através do rastreamento do produto pelo número da Nota Fiscal.

MEI

Quanto aos tributos, o pequeno empresário enquadrado no MEI fica livre desses, como PIS, Cofins, IPI, CSLL e Imposto de Renda, também sendo isento da Inscrição Estadual.

Outra vantagem de ser MEI é que não há a necessidade de um contador, pois as contas da empresa não costumam ser complexas, e não há necessidade de exigências como as de uma empresa comum, como ter um livro-caixa, por exemplo. 

Porém, é importante que se mantenha uma rotina bem organizada para que você possa fazer a sua declaração anual da forma mais correta possível.

A loja virtual formalizada também dá mais credibilidade a ela. Quando o consumidor percebe que está comprando em uma boa plataforma, de confiança, e com CNPJ, ele se sente mais seguro para efetuar a compra. 

Por isso, também, é importante que você saiba exatamente a plataforma que vai colocar a loja, assim como os produtos e o nicho específico que vá comercializar, como no caso do site www.shopnet.store, por exemplo, nicho esporte, venda específica de tênis e uma plataforma de venda confiável.

Como MEI você ainda possui os direitos previdenciários, como aposentadoria, auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria.

Já como desvantagens de ter uma loja virtual como MEI, podemos mencionar a questão do limite do faturamento de 81 mil anual, pois, ao ultrapassar este limite, você se desenquadra do MEI e se torna ME. Desta forma, a isenção de tributos acaba.

Outra desvantagem é que você só poderá contratar um único funcionário legalmente. Ou seja, se você precisar de ajuda de mais de um colaborador, não poderá contratar como MEI.

Para finalizar, outra desvantagem é que o MEI não pode ter sócio. O microempreendedor, como diz o próprio nome, é individual, e age sozinho. Ele é a empresa.

Então, com seu e-commerce legalizado como MEI, é hora de alavancar suas vendas e sair da crise em meio à pandemia.