Lucro Presumido: veja como apurar a contribuição social

0

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido ou CSLL, como é conhecida, se trata de um imposto federal arrecadado de forma trimestral e serve para financiar a Seguridade Social. 

Desta forma, todas as empresas que são domiciliadas no Brasil precisam fazer o recolhimento e, para que você saiba como calcular a contribuição sem erros, separamos as principais informações sobre o imposto. 

Para isso, é preciso saber que a alíquota da CSLL dependerá do regime tributário escolhido pela empresa e hoje, vamos destacar como funciona essa apuração no Lucro Presumido. 

Alíquotas 

No Lucro Presumido, a base de cálculo da CSLL funcionará como o IRPJ, ou seja, é estabelecida por meio da presunção do percentual conforme a receita.

Assim, fica estabelecido os seguintes percentuais: 12% para as atividades comerciais, industriais, serviços hospitalares e de transporte, e 32% para prestação de serviços em geral, exceto a de serviços hospitalares e de transporte; intermediação de negócios, administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis e direitos de qualquer natureza. 

A CSLL apurado no Lucro Presumido deve ser pago até o último dia útil do mês subsequente ao do encerramento do período de apuração – com a data de vencimento adiantada em ocasiões em que o vencimento seria em dia sem expediente bancário.

O código de recolhimento que deve ser utilizado é 2372 – CSLL. 

Cálculo

Em um exemplo prático, significa dizer que, se sua empresa vendeu R$ 10 mil e prestou serviços pelo mesmo valor, no trimestre a tributação será de:

  • 10.000 x 12% = R$ 1.200
  • 10.000 x 32% = R$ 3.200
  • Total = R$ 4.400
  • 9% (alíquota do CSLL) aplicado sobre R$ 4.400 = R$ 396
  • Valor do imposto CSLL = 396 reais.

Quais são as receitas tributáveis?

Estão incluídas as mesmas que permanecem sujeitas ao Imposto de Renda, ou seja, todos os ganhos de capital, receitas e os resultados positivos decorrentes de receitas não compreendidas na atividade, além das seguintes situações:

  • Rendimentos relativos às operações que são realizadas entre pessoas jurídicas (controladoras, controladas, coligadas ou interligadas); 
  • Ganhos referentes à participações societárias permanentes em sociedades coligadas e controladas, 
  • Participações societárias que permaneceram no ativo da pessoa jurídica até o término do ano-calendário seguinte ao das aquisições, 
  • Ganhos relativos às operações de cobertura que forem realizadas em bolsas de valores, além de mercadorias ou no mercado de balcão;
  • Receita de locação de imóvel deduzida dos encargos necessários à percepção da mesma;
  • Juros relativos a impostos e contribuições a serem restituídos ou compensados;
  • Variações monetárias ativas,
  • Juros remuneratórios do capital próprio pagos ou creditados por sociedade da qual a empresa seja sócia ou acionista; 

Como fazer o pagamento

O pagamento do CSLL pode ser feito em agências bancárias, mas como ressaltamos no artigo, é preciso ter atenção ao código de recolhimento.

Assim, basta gerar o DARF (Documento de Arrecadação da Receita Federal).

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por: Samara Arruda