Desde abril, quando começou a crise causada pelo coronavírus, até julho, mais de 180 pequenos negócios procuraram conhecer mais profundamente as normas técnicas para enfrentarem os desafios da pandemia.

De acordo com a avaliação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Sebrae, foram feitos mais de 1.060 downloads gratuitos de documentos da ABNT, sendo que 63% deles foram de empresas do setor de serviços (principalmente do segmento do turismo), um mais afetado pela pandemia.

Conforme o balanço, as buscas que mais se destacaram estavam relacionadas às normas sobre o turismo, os serviços de consultorias, alimentos e bebidas, educação e ensino, equipamentos médico-hospitalares e serviços de saúde.

O turismo recebeu atenção dos empresários de pequenos negócios, principalmente nos sistemas referentes a gestão da sustentabilidade em meios de hospedagem e gestão de segurança para turismo de aventura.

O resultado evidência a preocupação das empresas do ramo, fortemente impactadas pelo isolamento social em função do covid-19, em qualificarem sua gestão para enfrentar a crise.

Outras normas que também tiveram acesso destacado estavam ligadas à qualidade do serviço e à satisfação do cliente, principalmente no pequeno comércio.

Além disso, muitos empreendedores demonstraram interesse em conhecer diretrizes para a resolução externa de litígios das organizações, além das transações de comércio eletrônico de negócio a consumidor.

Normas ABNT

Em relação aos produtos de saúde, grande parte dos empresários realizou buscas por normas específicas para o segmento no enfrentamento ao covid-19.

Entre os temas estão os produtos para saúde, como material de uso odonto-médico-hospitalar e máscaras cirúrgicas.

“O Sebrae contratou a ABNT para fornecer o acesso gratuito a um conjunto de normas de interesse dos pequenos negócios”, explica a analista Hulda Giesbrecht.

“O resultado da contabilização dos acessos às normas gratuitas, entre abril e julho, mostra o interesse das empresas por esses conteúdos voltados a aprimorar a gestão e produzir com qualidade”, acrescenta Hulda.

O trabalho começou a partir do surgimento dos primeiros casos de coronavírus no Brasil, em março deste ano, quando as duas instituições firmaram o acordo para disponibilizar 49 normas gratuitamente para as micro e pequenas empresas, sendo que 31 delas estavam relacionadas a produtos essenciais para o combate ao covid-19.

As demais se referiam a aprimoramento de negócios tradicionais, como salões de beleza, turismo, serviços de alimentação e comércio eletrônico.

Os pequenos negócios podem acessar gratuitamente as normas técnicas e também acessar, por meio do Sebraetec, consultorias e serviços tecnológicas para implementar essas normas na empresa.

Para acessar as normas gratuitas para vencer a crise e o isolamento clique aqui

Para acessar as normas gratuitas para o combate ao Covid-19 clique aqui

Fonte: Sebrae