Novo Bolsa Família: Governo quer lançar em breve

0

O Bolsa Família passará por reformulação, como deseja o Palácio do Planalto, que pretende mudar o orçamento e aumentar o número de pessoas beneficiadas. Inclusive, o senador Ciro Nogueira, comentou sobre o assunto na segunda-feira (17), confirmando que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve apresentar nos próximos dias, um novo programa social para substituir o atual Bolsa Família.

Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado

O desejo do governo, segundo o senador, é aumentar a abrangência e número de beneficiados com a mudança proposta.

Um dos líderes pró-governo no Senado Federal, Fernando Bezerra, afirmou que Bolsonaro deverá lançar um programa mais robusto em comparação aos que já existem. O senador disse que o novo programa social deverá ter início em julho ou agosto. Ou seja, após término do Auxílio Emergencial 2021.

Novo Bolsa Família deverá ter lançamento em breve

Um dos grandes desejos do governo é mudar o valor do benefício que deverá ser algo em torno de R$ 250, e também aumentar o número de famílias atendidas. Na verdade, o que o governo quer fazer é uma renovação da medida já existente, porém com a junção de alguns outros benefícios. E incluir novos benefícios como:

Auxílio Creche: R$ 52;
Bônus anual para melhor aluno: R$ 200;
Bônus mensal de R$ 100 mais um valor anual de R$ 1000 destinado ao estudante que possua destaque na área científica.

Direcionamento de verbas a instituições privadas

Segundo o Portal UOL, a reformulação do Bolsa Família visa encerrar investimentos que se relacionam à ampliação de creches públicas. E os valores se redirecionariam a instituições privadas, através de um voucher de R$ 250 mensais dado aos participantes.
No entanto, o auxílio-creche precisa ser aprovado pelos parlamentares para poder ser instaurado.

Reformulação no processo de cadastro dos usuários

Também está previsto a criação de um aplicativo para poder ser realizado o cadastramento do Programa Bolsa Família.

Outra medida é tirar dos municípios a responsabilidade de realizar o cadastramento, através dos centros de atendimentos, e permitindo que a inscrição seja totalmente feita pela Internet.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil