Número de desbancarizados caiu 73% na pandemia

Necessidade de mais transações online e modernização do Sistema Financeiro Nacional impulsionaram brasileiros a criarem vínculos com instituições financeiras.

0

O número de brasileiros desbancarizados, ou seja, que não possuíam contas em instituições financeiras, caiu 73% na pandemia, segundo pesquisa realizada pela Americas Market Intelligence, em parceria com a Mastercard.

Para o especialista em regulação José Luiz Rodrigues, este cenário é consequência da modernização do Sistema Financeiro Nacional, encabeçada pelo Banco Central, além da necessidade das pessoas realizarem mais transações online. 

“A sociedade brasileira hoje, predominantemente, trabalha com o dinheiro físico. Entretanto, inovações como o Pix estão surgindo para tentar difundir ainda mais as transações virtuais. Então, haverá menos circulação de papel, e isso tem um impacto em cadeia”, explica José Luiz, que também é sócio da JL Rodrigues & Consultores Associados.

“Essa nova realidade cria um ambiente mais competitivo, com mais segurança, onde os bancos tradicionais, as instituições de diferentes portes, fintechs, insurtechs e demais startups disputarão mercado por igual, e levará vantagem aquela prestadora de serviços que puder oferecer qualidade com menores custos e de maneira mais criativa”, pontua.

pandemia

Para o especialista, cada vez mais o mercado se adaptará em prol da inclusão digital nos serviços bancários.

“Será cada vez mais comum o surgimento de novos produtos ou empresas no cenário financeiro. Porque a modernização do Sistema Financeiro Nacional, provocada pela chegada de inovações como o Pix, open banking e sandbox, está fazendo com que o mercado se estruture para atender às novas demandas dos consumidores. Isso vem gerando novos processos de fusão, incorporação, parcerias, compra e venda, entre outros modelos de organização ou reorganização”.

Há vinte e dois anos no mercado, a JL Rodrigues & Consultores Associados é uma consultoria especializada em regulação, organização, supervisão e acesso ao Sistema Financeiro e ao Mercado de Capitais, com foco no atendimento a empresas e instituições financeiras brasileiras e estrangeiras, que atuam ou pretendem atuar nesses ambientes.