O Auxílio Emergencial de R$ 600 vai voltar em 2022?

O auxílio já beneficiou 39 milhões de pessoas em 2021, seu pagamento foi encerrado em outubro

O Auxílio Emergencial no valor de R$ 600 não está nos planos do governo para uma nova rodada de pagamentos. O governo já dá esse assunto como encerrado. No entanto, parlamentares estão se movimentando para por em pauta um novo debate sobre o assunto. 

O auxílio já beneficiou 39 milhões de pessoas em 2021, seu pagamento foi encerrado em outubro. O Ministério da Cidadania, na época, não quis prorrogar novamente o benefício.

Para muitos deputados a volta do auxílio emergencial de R$ 600 se torna necessário, como é o caso do deputado federal Renildo Calheiros (PSB-PE).

“Esse auxílio é muito importante para milhões de brasileiros que ficaram completamente desassistidos na pandemia que ainda persiste. Muitos nem foram incluídos no Auxílio Brasil. Isso tem causado enorme sofrimento a essa imensa parcela da população”, disse ele.

Segundo o Ministério da Cidadania, após o encerramento do auxílio emergencial em outubro do ano passado, quase 25 milhões de pessoas ficaram sem nenhuma renda. O próprio João Roma, ministro da Cidadania, informou que isso iria acontecer caso o benefício chegasse ao fim.

Alguma dessas pessoas conseguiram entrar para o programa Auxílio Brasil em janeiro. Quando o governo inseriu cerca de 3 milhões de pessoas no programa. Mas uma boa parte dos brasileiros que estavam recebendo o auxílio emergencial continuam sem nenhuma renda.

Como estamos num ano eleitoral, dificilmente o auxílio emergencial de R$ 600 voltará a ser pago, mesmo os parlamentares mostrando interesse pelo programa.

O auxílio emergencial teve início em abril de 2020, após aprovação do Congresso Nacional. Na época, 70 milhões de brasileiros foram beneficiados. Em dezembro de 2020, o benefício chegava ao fim. No entanto, o governo não querendo retornar com os pagamentos, foi pressionado a liberar uma nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial, que teve inicio em abril de 2021.

Porém, o governo não liberou parcelas de R$ 600, e sim, valores menores, entre R$ 150 e R$ 375. De acordo com o Ministério da Cidadania, 39 milhões de pessoas foram beneficiadas.

Comentários estão fechados.