Os três pilares da transformação digital nas empresas

0

Em uma conversa com profissionais do nosso mercado, me questionaram: Quais seriam os pilares que sustentam um grande projeto de transformação digital?

A transformação digital é um processo tecnológico e cultural.

Não é apenas transformar tudo que é monolítico em escalável, por meio de sistemas computacionais.

É importante lembrar que temos que mudar o mindset para sempre pensar em negócios escaláveis.

Na jornada de transformação digital, me “agarro” a três grandes pilares – Primeiro: envolvimento do cliente e relacionamento com o cliente, ou seja, aquele que é impactado com a mudança; Segundo: uma equipe engajada e empoderada, transforma as ideias em resultados e, por último, processos bem definidos.

Sobre cada um deles, mais detalhadamente:

Envolvimento do cliente final e Relacionamento com o Cliente

Aqui uma das chaves do sucesso e da disrupção de toda transformação digital, afinal, se está digitalizando a empresa, espera-se obter mais produtividade, bem estar, redução de custos, aumento nas receitas, melhora na experiência do usuário, etc.

Então, o envolvimento dos clientes (entenda cliente por quem usa um produto ou serviço), é fundamental, pois, na maioria das vezes, o que o cliente espera, não é aquilo que realmente pensamos em oferecer.

Esse processo é delicado – extrair do cliente as informações necessárias – Ele é complexo e exige uma metodologia bem definida, profissionais engajados e treinados.

E é neste momento entra que o segundo pilar.

Equipe engajada: Empoderamento de colaboradores

Uma equipe com um bom direcionamento e objetivo claro já é mais produtiva.

A medida que se “tempera” com empoderamento, ou seja, as pessoas tomam e são responsáveis pelas suas decisões.

Não é necessário passar por toda uma cadeia de aprovação burocrática, além de agilidade, ganha-se em engajamento. 

Designed by PopTika / shutterstock
Designed by PopTika / shutterstock

Processos bem definidos: otimização da operação

Antes de qualquer coisa: processos bem definidos não significam processos “engessados”, que não estejam sujeitos a mudanças, mas sim, que podem adaptar-se rapidamente.

O processo de compreensão do problema até a implantação da solução, deve ser gerenciado, medido e melhorado, afinal, no mundo atual, os negócios mudam de forma muito rápida, sendo necessária a adaptação e a manutenção de um roadmap de melhoras.

Assim, sempre se está à frente do mercado, entendendo cada dia mais o cliente. 

Atualmente, existem milhares de modelos que se pode seguir para ter um processo eficaz.

Não há um modelo melhor que o outro.

O melhor processo é aquele que entrega resultado para o cliente, o cliente do cliente e as pessoas que participam do processo.

Processos também devem possuir indicadores para que seja possível entender se está ou não indo na direção certa.

Não se limitem a usar um único modelo para a definição de processos.

A maioria das empresas tem a sua metodologia própria – um conjunto de processos adotado para melhorar a performance do negócio.  

Toda empresa deve se preparar para transformar seus negócios.

Afinal, é isso que irá reger o dia a dia, seja você, em momento consumidor, seja você, em momento fornecedor. 

O futuro bate à porta. 

Por: Rodrigo Bizarro, diretor de Tecnologia e Inovação da ART IT.