Plataforma Meu INSS muda visual e facilita acesso

A Plataforma Meu INSS mudou e está mais fácil de acessar. Assim, o aposentado poderá realizar a prova de vida pelo aplicativo. O Instituto Nacional do Seguro Social voltou a exigir a prova de vida a aposentados e pensionistas. Sem a comprovação o segurado poderá ter seu pagamento suspenso.

O INSS resolveu fazer uma repaginação em seu aplicativo Meu INSS, criando um formato novo, que também foi realizado no site. Duas mudanças chamaram a atenção: a confirmação de recebimento de carta de concessão e a prova de vida por biometria. Para acessar o portal será necessário ter criado login e senha.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Uma boa notícia é que os segurados que tiveram seus benefícios suspensos ou cessados por falta da prova de vida poderão realizar a comprovação pelo aplicativo. Sendo necessário ter a biometria facial já cadastrada nos bancos de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos Departamentos de Trânsito (Detrans).

Ao fazer a prova de vida pelo Meu INSS, o benefício será reativado na hora, e com um detalhe, sem precisar sair de casa. Para o Instituto, isso é uma forma de evitar que essas pessoas tenham que se dirigir ao banco ou a uma agência do INSS para reativar seus pagamentos.

O Meu INSS também atualizou as mensagens de orientação para quem ainda não pode realizar o recadastramento por selfie.

Outra novidade, quem recebeu a carta para se aposentar por idade, poderá confirmar o recebimento pelo aplicativo Meu INSS ou pelo site, antes só era possível através da central 135.

Telas diferenciadas

Para facilitar a vida dos segurados, as telas principais do Meu INSS passaram a ser diferenciadas para cada tipo de pessoa, ou seja, a primeira página aposentados e pensionistas, em destaque, e também as informações de número de benefício, tipo de benefício, valor e data prevista para o pagamento.

Todos estão personalizados, informando quias são os mais buscados por quem já tem o benefício (como carta de concessão e extrato de pagamento, sendo o equivalente ao contracheque).

No documento, estão listados créditos e descontos feitos no pagamento.
Para quem ainda não recebe o benefício vai encontrar um ambiente diferente, logo no topo da tela, estará em destaque o simulador de aposentadoria, permitindo que o trabalhador confira quanto tempo ainda falta para se aposentar.

Também contém o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), onde estão entradas e saídas de empresas, recolhimentos e contribuições, sendo primordiais para o trabalhador. Isso porque, são com base nesses dados que são concedidas as aposentadorias.

Como fazer o cadastro

O Meu INSS agora está inserido no portal do governo federal, que unifica logins e senhas. Com isso, todos os acessos são feitos pela plataforma gov.br.

Entre no portal Meu INSS, após clique em “Cadastra senha”. Em seguida você será redirecionado para a página de acesso único. Sendo preciso acessar “Crie suca conta gov.br”. Após você vai selecionar uma das opções de cadastro(que pode ser por meio do CPF) e seguir as instruções para criar sua conta gov.br.

Após ter feito tudo isso, é só acessar o Meu INSS novamente, clicando em “Entrar”, digitando o CPF (caso seja preciso) e, em seguida “Avançar”, sendo preciso inserir a senha que você escolheu no momento em que realizou o cadastro e selecionar novamente “Entrar”.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil

Comentários estão fechados.