PMEs: Indicadores e Análises a partir do Controle de Caixa

Sempre que posso, tenho conversado com empreendedores sobre o Controle de Caixa, com os registros de entradas e saídas da empresa e seus indicadores.

Além de uma ferramenta simples, que pode ser adotado por qualquer empresário de forma simples e fácil, ele é um excelente ponto de partida para uma Gestão Financeira Empresarial.

Existem três passos (níveis) em uma Gestão Financeira:

É fato que nem todos os empresários atingem esses níveis, mas se você fizer o primeiro, já estará muito a frente de diversas empresas, incluindo concorrentes que não adotam nenhuma etapa.

Oferecemos a todos os clientes uma Ferramenta de Mercado de Controle de Caixa para ajudar o empresário, e para ajudar a entender as possibilidades da ferramenta vou explorar algumas análises possíveis de serem realizadas de forma simples e fácil.

PS: Como realizar esse controle, com rotinas, ferramentas e como fazer, falamos no artigo: Fluxo de Caixa – Um Guia para iniciar e realizar o controle financeiro da sua empresa.

1. Fluxo de Resultados (Receita, Custo e Despesa)

A primeira e grande questão é entender como funcionam os resultados da empresa. Qual é a fonte de receita, como funcionam os custos e as despesas.

Pode se avançar nisso e observar investimentos e o fluxo de financiamento (esse último, seja com recursos próprios dos sócios ou ainda de terceiros, como financiamentos).

Indicamos uma estrutura de Plano de Contas que permite avaliar cada etapa da empresa. Com um relatório simples de alocação do período por conta é possível ver as contas mais significativas, se existem regularidade ou não e tomar ações de redução de despesas.

Exemplo de Estrutura de Plano de Contas:

  • Receitas/Entradas
    • Receita de Venda de Mercadorias
    • Receita de Serviços
  • CustosMargem de Contribuição (Receitas/Entradas – Custos)
    • DAS – Simples Nacional
    • Comissão sobre as Vendas
    • Mercadorias para Revenda
  • DespesasLucro Operacional Antes dos Investimentos (Margem de Contribuição – Despesas)
    • Tarifas Bancárias
    • Serviços de Terceiros
    • Papelaria
  • InvestimentosLucro Operacional (Lucro antes dos Investimentos – Investimentos)
    • Aquisição de Máquinas
    • Aquisição de Equipamentos
  • Movimentações de FinanciamentoResultado Líquido (Lucro Operacional – Financiamentos)
    • Recebimentos de Empréstimos
    • Pagamento de Empréstimos
    • Aumento de Capital Social

Abaixo segue o exemplo de relatório para analisar o Fluxo de Resultados:

Relatório Gerencial - Fluxo de Resultados

Relatório Gerencial – Fluxo de Resultados

2. Margem de Contribuição

A Margem de Contribuição é um indicador superimportante e muitas vezes não é de conhecimento do Empreendedor.

Muitas vezes por causa da ferramenta que se utiliza. Muitas planilhas de Excel disponíveis no mercado não possuem tal indicador, como as planilhas abaixo:

Ferramentas de Controle de Caixa - Não possuem Margem de Contribuição

Ferramentas de Controle de Caixa – Não possuem Margem de Contribuição

A Margem de Contribuição é o valor que sobra das vendas para pagar as despesas e investimentos. A leitura é, mesmo que você venda em um exemplo R$ 2 Milhões, você somente terá esse valor descontado os custos para pagar as despesas da empresa. Se os custos foram de R$ 1,5 Milhão, sobrará apenas R$ 500 mil para isso.

Portanto a margem de contribuição é um indicador mais importante que o próprio faturamento da empresa. Além disso pode ser um indicador para comprovar decisões boas ou erradas em sua precificação.

Definitivamente, seu fluxo de caixa deve ter o indicador, e ele pode ser facilitado se estiver em seu sistema de gestão.

Margem de Contribuição - Ferramenta oferecida a Clientes Capital Social

Margem de Contribuição – Ferramenta oferecida a Clientes Capital Social

3. Lucratividade

A lucratividade também pode ser calculada a partir do controle de caixa.

Pode ser que devido os conceitos de caixa e de competência dispostos na DRE Contábil ela seja um pouco diferente, mas com certeza informação como esta é valiosa.

Esse tipo de informação também deve desencadear ações de melhorias na empresa.

Para isso, você deve considerar as entradas com as receitas, e os gastos com os custos e despesas operacionais. Observe principalmente seu movimento ao longo do tempo e padrões de longo prazo.

4. Ponto de Equilíbrio

Outro indicador, daqueles importantes, simples e rápido de se ter é o Ponto de Equilíbrio. Com ele é possível entender qual é o nível de vendas que você precisa ter para não ter prejuízo e começar a lucrar.

Pense, a partir dele é possível muito bem definir metas e entender a situação financeira de determinado período.

O seu cálculo somente é possível tendo a Margem de Contribuição que tratamos mais acima. A sua fórmula é:

Ponto de Equilíbrio = Despesas / % de Margem de Contribuição.

Simples, não é mesmo?! Falamos mais sobre isso no artigo: Entenda a importância de conhecer o ponto de equilíbrio da sua empresa.

5. Geração de Caixa

Bem, se estamos falando de um controle de caixa, não podemos nos esquecer do seu resultado final, ou seja, da Geração de Caixa após todas as entradas e saídas da empresa, incluindo investimentos e atividades de financiamento.

As empresas normalmente não falem por falta de lucros, elas falem por falta de caixa, por isso acompanhe e tome as decisões acertadas para gerar caixa.

Existem uma série de ações para isso, exploramos elas no artigo Fluxo de Caixa: 9 dicas para torna-lo mais eficaz (aposto que você não conhecia a 8ª dica!).

Acompanhamento por relatórios e dashboard do Controle de Caixa

Falamos aqui no artigo sobre a ineficiência de algumas planilhas no controle de caixa, não é mesmo?! O ideal é ter um sistema que contemple as principais funcionalidades e permita a eficiência em processos.

Ao escolher um sistema parceiro para oferecer aos nossos clientes, observamos a facilidade na operacionalização, as ferramentas de produtividade, os relatórios e formas de análise. Além disso uma ferramenta integrada como a que escolhemos, possui uma série de benefícios, listamos pelo menos 7 em 7 benefícios imediatos de ter seu controle de caixa integrado ao Contador.

Mas além de considerar os relatórios disponíveis, ter um dashboard simples, visual, com uma única página e com todos os principais indicadores é essencial para quem tem o dia a dia muito corrido.

Por isso construímos um Dashboard Visual com todos os indicadores que comentamos neste artigo. Para facilitar a adoção, utilizamos o Excel e simplesmente fazendo download dos dados e colando na pasta de dados temos uma poderosa ferramenta de análise e tomada de decisão.

Dashboard Indicadores Financeiros - Utiliza dados do Sistema Nibo

Dashboard Indicadores Financeiros – Utiliza dados do Sistema Nibo

Conclusão

Existem três passos a serem alcançados na Gestão Financeira de PMEs. Mas com certeza o mais importantes deles é o primeiro: o Controle de Caixa.

Fazer isso da forma adequada poderá permitir uma importante ferramenta de análise, conhecimento e melhoria financeira para sua empresa, e acredite, te colocará a frente de muitos concorrentes que não o fazem.

Existem diversos indicadores essenciais que podem ser extraídos deste controle e é importante escolher a ferramenta. Clientes da Capital Social possuem incluídos em todos os planos uma Ferramenta Eficiente para esse controle.

Além disso, disponibilizamos um dashboard financeiro dos principais indicadores para facilitar ainda mais a sua execução financeira.

Artigo elaborado por Regina Fernandes.

Contadora, pós graduada em Marketing com especialização em Gestão de Projetos. É sócia proprietária da Capital Social Contabilidade e Gestão. Website: www.capitalsocial.cnt.br