Precificação de produtos: Confira 4 métodos e dicas para realizar

Saber como fazer a precificação de produtos ou serviços costuma ser uma tarefa complicada para diversos empresários.


É fundamental analisar diferentes fatores, como os custos na produção, o valor que ele tem aos consumidores, conseguir lucro e, ainda, se manter competitivo.

Isso porque não adianta nada colocar um preço muito alto, mas a mercadoria não ter saída. Por outro lado, um valor muito baixo pode fazer com que as pessoas desconfiem da qualidade do que você oferece.

Quer aprender o passo a passo para precificar bem? Então, acompanhe o conteúdo que separamos para você!

O que é precificação de produtos?

A precificação de produtos é uma estratégia cujo conjunto de variáveis compõe diretamente ou indiretamente o valor final do produto, ou serviço.

Sendo assim, com a precificação adequada atinge-se o objetivo de suprir os custos e garantir lucro nas vendas. Como as condições variam em cada empresa, é comum notarmos preços diferentes em produtos semelhantes.

Por isso, a precificação de produtos ou serviços precisa ser feita por cada empreendedor, de forma específica.

Basear-se inteiramente nos valores dos concorrentes pode garantir competitividade, mas não representa necessariamente lucro à organização.

Consequentemente, a precificação engloba todos os valores relevantes para a definição do preço de venda. Desta maneira, é possível garantir competitividade no mercado, satisfação dos clientes e uma margem de lucro mensurável e adequada.

O que muda na precificação de produtos para a de serviços?

A precificação de produtos e serviços pode ser feita de forma diferente pelo empreendedor.

Enquanto os produtos podem facilmente ser medidos em quantidade, os serviços tendem a ser medidos em tempo.

Assim, ao precificar um produto, utiliza-se a contagem em dúzias, por exemplo. Já na precificação de um serviço, é mais simples trabalhar com a precificação em horas, sendo possível adotar as mesmas estratégias.

Estratégias de precificação mais utilizadas

Sabendo da importância da precificação de produtos, muitas empresas desenvolvem uma estratégia interna de precificação. Separamos abaixo as mais exploradas pelo mercado, confira:

Precificação por meio do markup

A precificação de produtos pode ser feita por meio do markup. Trata-se de uma ferramenta capaz de estabelecer valores de venda baseada em custos fixos e variáveis.

No cálculo, é possível incluir impostos, salários dos funcionários, aluguel e a margem de lucro.

A fórmula retira uma variável que, multiplicada pelo custo de produção oferece o valor de venda que cobre a margem de lucro desejada:

  1. Markup = 100 / 100 + despesas fixas + despesas variáveis + margem de lucro desejada
  2. Preço de venda = custo de produção x markup

Esse método de precificação serve para produtos e serviços. Vale lembrar que ele não considera valores dos concorrentes, e parte de uma margem de lucro desejável.

Por isso, pode ser vantajoso combiná-lo a outra estratégia.

Lucro-alvo

Esse método de precificação consiste em estabelecer um valor de venda que possibilite uma quantia estabelecida, em lucro. Assim, o cálculo envolve os custos fixos (CF), margem de contribuição (MC) e lucro líquido (LL).

Considere que uma empresa deseja receber, como lucro líquido, o valor de R$100.000. É preciso estabelecer o valor de contribuição que possibilitará essa quantia.

Para isso, podemos aplicar o cálculo de lucro-alvo:

  • LL = MC – CF

Supondo que os custos fixos para atingir essa faixa de lucro seja de R$50.000:

  • 100.000 = MC – 50.000
  • MC = 150.000

Ou seja, para atingir o valor de LL R$100.000 a empresa precisa arrecadar com suas vendas, o valor de R$150.000.

Considerando que a empresa desenvolve 1.000 produtos com esse investimento, o valor unitário para atingir um lucro de 100.000 seria:

  • MC / número de produtos = valor de venda
  • 150.000/ 1.000 = 150

Assim, é possível definir o valor de venda de cada produto partindo do lucro desejado. Nesse caso, cada item teria um preço de R$150,00.

Precificação por concorrência

A precificação por concorrência oferece uma praticidade maior para quem possui um negócio competitivo e estabelecido. A partir dela, é possível desenvolver valores atrativos no mercado, seguindo certo padrão.

O grande problema desta precificação de produtos envolve o porte do negócio.

Empresas maiores podem oferecer preços mais baixos sem que eles representem prejuízo devido ao maior capital de giro.

Enquanto isso, organizações de portes menores tendem a ter custos proporcionalmente maiores.

Além disso, ao oferecer produtos ou serviços mais específicos, pode ser difícil encontrar concorrentes diretos.

Uma alternativa, portanto, é unir a precificação por concorrência a outras estratégias que considerem os gastos específicos da organização.

Precificação por margem de contribuição

A precificação de produtos baseada exclusivamente na margem de contribuição pode ser mais precisa quanto aos gastos da empresa.

A margem de contribuição é o valor, em porcentagem, de contribuição aos gastos que o produto rende.

Isso, porque aqui, a margem de contribuição (MC) é dada em porcentagem, e envolve o preço de venda (PV), preço de compra (PC) e impostos (I), no cálculo:

  • PV – PC – I = MC(Considerando todos os valores em porcentagem)

Assim, a porcentagem MC pode ser associada à porcentagem de lucro líquido dos produtos comercializados (L), quando subtraímos os custos fixos (CF):

  • MC – CF = L

Trata-se de um processo similar à estratégia por lucro-alvo. A diferença, porém, será que o lucro nesse caso é dado em uma porcentagem do valor de venda do produto.

Dicas para uma precificação assertiva

Para identificar a melhor estratégia de precificação é importante considerar alguns pontos relativos ao seu negócio.

Primeiramente, realizar uma consulta periódica à precificação dos concorrentes pode ser uma ótima forma de permanecer firme no mercado.

Vale considerar, não só um baixo preço ao consumidor, mas também uma satisfação pelo produto ou serviço.

A precificação precisa ser estratégica, justamente porque o valor que o produto agrega ao cliente depende da necessidade que ele supriu.

Sendo assim, é fundamental buscar um equilíbrio entre qualidade, preço de venda e gastos. Considere ouvir feedbacks e entender se tudo está alinhado.

Confira abaixo mais algumas dicas para a precificação de produtos.

1. Faça o levantamento das despesas fixas e variáveis

A primeira etapa para entender como precificar um produto ou serviço é a observação, tanto de custos diretos quanto indiretos que a sua empresa possui. Eles são necessários para que a mercadoria esteja pronta para a venda.

Assim, avalie, de forma detalhada, as despesas com:

  • água;
  • energia;
  • pagamento de funcionários;
  • gastos para a manutenção das máquinas;
  • aluguel;
  • marketing;
  • tributos;
  • entre outras.

2. Analise a concorrência e o mercado

Observar a concorrência também é importante. Não para imitá-la, mas para ter uma ideia do que estão fazendo e da receptividade do público deles. Entender como o mercado está ajudará nessa análise.

Por exemplo, uma fase de grande desemprego pode influenciar no fato dos consumidores terem mais dificuldade em fazer compras grandes.

3. Conheça os custos do produto ou serviço

Os custos diretos do produto também entram nessa equação.

Assim, contabilize o valor deles com o fornecedor e os gastos para obter matéria-prima.

Por exemplo, um MEI que comercializa brigadeiros precisa somar o que teve que desembolsar com leite condensado, chocolate em pó, embalagens e assim por diante.

4. Defina uma margem de lucro

Sabendo que você precisa, no mínimo, cobrir todos os gastos, para não precisar deixar a conta com saldo devedor, estabeleça qual margem de lucro você acha justa obter.

Entenda que, além de garantir a sobrevivência do negócio, você precisará separar uma parte do dinheiro para adquirir mais insumos e, assim, continuar suas produções.

Dessa forma, que porcentagem você considera a ideal para garantir a sua competitividade e manter as suas despesas pessoais?

5. Descubra o valor intangível do seu produto ou serviço

Cada mercadoria ou serviço tem, ainda, o seu valor intangível. Ele é subjetivo e envolve muito mais do que apenas os custos indiretos e diretos: tem a ver com o que os clientes experienciam ao consumi-lo.

Abrange a emoção que ele gera nas pessoas, por exemplo. Muitas vezes, quando os produtos são bem direcionados e conseguem resolver problemas, suprir necessidades e atender desejos, eles costumam ser muito valorizados.

6. Utilize uma fórmula adequada

A precificação de produtos pode ser subjetiva, mas existe uma maneira básica de realizar os cálculos visando evitar, pelo menos, que as contas fiquem no vermelho.

Basta você utilizar uma fórmula para chegar ao preço certo. Note que existem vários tipos de cálculos como as estratégias que apresentamos.

Ainda assim, vamos apresentar uma nova opção, mais simples, com um exemplo mais detalhado para você:

  • 100% preço de venda = custo de aquisição + porcentagem das despesas fixas + percentual do lucro que você deseja

A porcentagem das despesas fixas é calculada como no exemplo a seguir:

  • Valor anual das despesas fixas: R$18.000;
  • Valor total das vendas anual: R$120.000;
  • Despesas fixas sobre as vendas: (18.000/120.000) x 100;
  • Percentual: 15%

O percentual do lucro em cada venda é você quem decide. Então, se você determinar 15% também, e supondo que o custo de aquisição foi de R$50, o cálculo ficaria:

  1. 100% preço de venda = 50 + 15% + 15%;
  2. 100% preço de venda = 50 + 30%;
  3. Preço de venda = 50 (100% – 30%);
  4. 70% preço de venda = 50;
  5. Preço de venda = 50/0,7;
  6. Preço de venda = R$71,43.

Vale realizar pesquisas de mercado e análises da concorrência para garantir que a taxa de lucro estabelecida se alinha às necessidades dos clientes.

Conclusão

Como foi possível perceber, existem inúmeras maneiras de realizar a precificação de produtos ou serviços.

Listamos alternativas mais simples, e que consideram os fatores de maior importância para o empreendedor.

Estar em dia com as despesas e taxas tributárias é obrigatório para manter qualquer organização funcionando. Por isso, não se esqueça de incluir tanto os gastos mais expressivos quanto os mais discretos nos processos de precificação.

Essa atenção evita irregularidades e surpresas desagradáveis no futuro. Por fim, o importante é estabelecer um valor de compra que possa manter sua empresa em destaque e fazer com que os clientes sintam que a mercadoria merece esse preço.

Quer saber o primeiro passo para realizar a melhor precificação possível? Tudo começa no controle das tributações de sua empresa, que parte de notas fiscais devidamente regularizadas!

Artigo Original de Emitte

Comentários estão fechados.