Prepare sua empresa para a Escrituração Contábil Fiscal




A ECF (Escrituração Contábil Fiscal), obrigação imposta às empresas do Brasil, deve ser entregue no dia 30 de setembro de 2015 no ambiente SPED. Trata-se de uma checagem de tudo o que foi feito na apuração do IRPJ e da CSLL, em substituição à DIPJ (Declaração de Informações Econômico-Fiscais). Ela é uma das etapas do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), que tem como um dos objetivos promover a integração dos fiscos, por meio de um padrão definido para o compartilhamento das informações contábeis e fiscais.


Por meio da ECF, as empresas deverão informar as operações que influenciam a elaboração da base de cálculo e o valor devido ao Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.

Como essa obrigatoriedade terá impacto na rotina das empresas, ela requer uma preparação para a adequação. Ana Paula Simon, da Prolink Contábil, explica alguns pontos que devem ser observados. Confira:

Mapeamento

A empresa deve fazer o mapeamento das informações que serão enviadas ao sistema. Por isso, deve ser verificado, junto ao cliente, tudo o que está sendo exigido e realizar a comparação dos dados com a situação atual da empresa. Assim, será possível verificar as mudanças necessárias para a adequação e quais são as dificuldades que a empresa possa ter para enfrentar a transição. Quanto antes as empresas fizerem o mapeamento, mais tempo terão para se adaptar.

Tecnologia

As empresas devem utilizar softwares de gestão contábil para auxiliar na correta apuração dos dados enviados, assim, isso permitirá que o processo seja totalmente automatizado e auxiliar no cumprimento das obrigações dos escritórios de contabilidade. Dessa forma, as informações são mais críveis e é possível focar mais na análise dos dados, e não gastar tempo com planilhas e, consequentemente, erros.

“O SPED trouxe novas obrigações, que incluem a mudança da DIPJ para a ECF e, dessa forma, as empresas precisam estar preparadas para a nova fase; por isso, o contabilista é uma peça chave para que tudo seja feito dentro do mais alto rigor e, assim, evitando problemas com a Receita Federal futuramente”, diz Ana Paula.

[useful_banner_manager banners=18 count=1]

Comente no Facebook

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Anúncios