PMEs: Veja quais são os principais impostos para microempresas

0

Novos empreendedores, movidos pelo desejo de ter seu negócio próprio, ou pela necessidade de renda, muitas vezes desconhecem sobre algo fundamental: a tributação

No caso das microempresas, apesar de ter uma lista – digamos – simplificada, os impostos podem pesar e exigem planejamento financeiro nas empresas. 

Entenda, a União criou uma legislação específica para facilitar o pagamento no caso dos negócios pequenos.

Ela reúne, por exemplo, todos os documentos em uma guia.

Mesmo assim, é válido saber quais são esses impostos.  

Mais que isso, além de conhecer sobre impostos e contribuições, e controlar a gestão financeira de seu negócios, é válido lembrar que deixar de recolher os tributos e sonegar impostos devidos pode ser considerado crime. 

O que é Microempresa, EPP e MEI?

Antes de detalhar cada um dos impostos pagos, é importante entender o que é uma microempresa. 

Primeiramente, a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Lei 123/2006) é a legislação que prevê o tratamento diferenciado às microempresas e às empresas de pequeno porte.

Em segundo a legislação, microempresa (ME) é, normalmente, uma empresa ou sociedade simples, individual de responsabilidade limitada e com o empresário devidamente registrado nos órgãos competentes.

Deve ter a receita bruta anual de até R$ 360 mil.

Ainda se enquadram nesta lei as empresas de pequeno porte (EPP), que são sociedades que arrecadam anualmente acima de R$ 360 mil e menor que R$ 4,8 milhões

Outra modalidade é a do microempreendedor individual (MEI).

Enquadram-se nesta modalidade o trabalhador autônomo legalizado e que tenha faturamento por ano de até R$ 60 mil.

O Simples Nacional

Ainda de acordo com a legislação, existe um regime para os pequenos negócios chamado Simples Nacional, que é um regime tributário criado para facilitar a rotina dos microempreendedores.

Como o nome diz, ele “simplifica” e faz uma espécie de pacote de tributos a serem pagos de uma vez, com o pagamento de um boleto com valor fixo.

Além disso, o empresário está isento dos impostos federais.

Esse boleto que unifica os impostos é denominado Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). 

Mais importante, o Simples Nacional é o responsável, também, pela distribuição automática dos impostos para as contas dos municípios, estados e união. 

Detalhes sobre tributação e podem – e devem – ser consultados com contadores.

Eles são os profissionais capacitados para realizar esses procedimentos ligados com a gestão empresarial

Outros regimes tributários

Além do Simples Nacional, existem outros dois tipos de regimes tributários.

Mas neles os impostos são recolhidos de forma individual.

Um deles é o lucro presumido, que incide sobre a presunção do lucro e é voltado para empresas com faturamento de até R$ 78 milhões ao ano.

Ou seja, a margem de lucro é pré-definida pela Receita de 8% para atividades comerciais e de 32% para serviços. 

O outro regime é o lucro real, para empresas com o mesmo faturamento do lucro presumido, está o lucro real.

Empresas que faturem acima de R$ 78 milhões por ano ou que sejam do setor financeiro, como bancos e seguradoras, é obrigatório.

Os impostos, no caso, incidem sobre a margem de lucro realmente obtida pelo negócio.

Os tributos das microempresas

Toda empresa no Brasil deve pagar impostos.

No caso das microempresas, resumimos os principais tributos.

Confira a seguir e entenda cada um:

Imposto de renda pessoa jurídica (IRPJ)

Em resumo é do que o imposto de renda da empresa.

Ou seja, ele é calculado sobre a arrecadação bruta e relacionada aos último ano.

Para o Simples Nacional sua taxa está entre 0% a 0,54% para comércio ou indústria e pode chegar a 0,84% em caso de prestador de serviço. 

Para lucro real ou presumido, a cota é de 15%.

Contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL)

Nesse caso, é um imposto que incide na renda líquida da empresa.

A contribuição varia de 9% a 20%.

Vale lembrar que o percentual a ser cobrado depende muito de como o valor final do lucro líquido do período base, checado antes do fornecimento do IRPJ.

PIS/Pasep

O Programa de Integração Social (PIS) é pago para o trabalhador do setor privado e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) o setor público.

É uma taxa paga para a união mensalmente e é calculada sobre o faturamento da empresa ou da folha de pagamento.

Isso vai depender da atividade da entidade.

No Simples Nacional, a taxa chega a 0,38% no comércio e na indústria e a 0,57% para serviços.

Contribuição para financiamento da seguridade social (Cofins)

Assim como PIS/Pasep, também é um tributo da união e é calculado sobre a receita bruta.

Destina-se para fundos de previdência e assistência social, e saúde pública.

Para ser feito o cálculo, é necessário saber em qual regime tributário a empresa está enquadrada.

A taxa varia de 3% ou 7,6%.

No Simples Nacional, a alíquota vai de 1,6% para o comércio e a indústria, a 2,42% para serviços 

Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS)

É uma taxa estadual que é cobrada sempre que há uma comercialização de produtos entre estados no Brasil.

Cada unidade federativa tem sua taxa, que varia de 7% a 18%.

Uma dica para saber o valor do seu estado é conferir o site de governo.

No regime Simples Nacional, a taxa varia de 1,25% a 3,95% se forem do comércio ou da indústria.

Imposto Sobre Serviços (ISS)

Esta, no caso, é uma tributação municipal e calculada em cima do valor do serviço prestado.

A taxa varia de acordo com cada município e, em alguns casos, pode chegar a 5%.

No Simples Nacional, a alíquota varia de 2% a 4,65% quando o faturamento chega a R$ 1,8 milhão.

Arrecadação superior a esse valor, a taxa é de 5%.

Quem é autônomo, por exemplo, também precisa pagar este tipo de imposto

Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

É uma taxa da união e deve ser paga por importadores ou comerciantes e donos de indústrias.

As alíquotas são sobre mercadorias importadas e produtos de fabricação nacional.

Ou seja, se é um produto comercializado, precisa pagar imposto.

Para se chegar ao valor, normalmente é calculado sobre o preço de venda do produto e as taxas são definidas na Tabela do IPI (TIPI).

No Simples Nacional, a taxa é padrão, de 0,5%, apenas para as indústrias.

Contribuição Previdenciária Patronal (CPP)

É uma contribuição paga para o Regime Geral de Previdência Social.

As alíquotas variam conforme o regime tributário, mas pode chegar a 20% do salário ou pró-labore.

A taxa fica normalmente entre 2,75% e 4,6% para comércio e indústria e entre 4% e 7,83% para serviços no caso dos optantes do Simples Nacional.

Conclusões 

Além de entender sobre os processos de produção, venda ou prestação de serviços ligados com a atividade direta do seu negócio, há questões mais burocráticas comuns em todo tipo de empresa.

Para isso, recomenda-se dar a devida atenção aos procedimentos da área contábil e financeira. 

Esse trabalho pode ser facilitado com uso de softwares específicos para gestão empresarial.

sistema ERP online é o mais indicado, por atender empresas de todos os portes com suas funcionalidades (como: emissão de notas fiscais, boletos, ordens de serviços, controle de estoque, PDV, CRM, entre outros).

Além dos módulos que integram as atividades no negócio, é possível fazer a contabilidade em tempo real.

Vale a pena conhecer os benefícios desse tipo de sistema.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática.

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Fonte: FoxManager