Prorrogação do auxílio emergencial vai liberar novas inscrições?

0

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta última terça-feira (8), que o auxílio emergencial 2021 será prorrogado. Liberado inicialmente em quatro parcelas referentes aos meses de abril e julho, agora o beneficiário poderá contar com mais duas ou três parcelas.

Após pressão de parlamentares, e da população, Guedes, declarou ser a favor da nova prorrogação, segundo declaração do ministro, o auxílio emergencial deve contar inicialmente com mais duas parcelas, mas que, pode acabar sendo mais uma vez prorrogado por mais um mês caso seja necessário.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Inscrição para prorrogação

Com a divulgação de uma nova prorrogação, diversos brasileiros que receberam o auxílio emergencial no ano passado e que ficaram de fora da prorrogação este ano, buscam orientação sobre a possibilidade do governo liberar uma nova inscrição para mais beneficiários.

Entretanto, conforme o jornal Folha de S. Paulo veio a apurar, a nova prorrogação do auxílio não deve permitir novas inscrições, e sim se estender para os mais de 39 milhões de beneficiários que vem recebendo as parcelas este ano.

Conforme declaração de Guedes, a nova prorrogação do auxílio emergencial deve custar algo próximo aos R$ 18 bilhões, logo, serão utilizados os R$ 7 bilhões remanescentes da Medida Provisória que viabilizou R$ 44 bilhões fora do teto de gastos para liberar a medida este ano.

Já para o restante do valor, o governo prevê a criação de uma nova Medida Provisória para a liberação de um crédito extraordinário de 12 bilhões fora do teto de gastos para complementar o orçamento e viabilizar a prorrogação do benefício.

Segundo informações do governo, cada parcela do auxílio emergencial 2021, representa uma despesa de R$ 9 bilhões, para os 39,2 milhões de beneficiários. Logo, conforme expectativa de liberação de R$ 18 bilhões, o orçamento se torna limitado para permitir que novas inscrições sejam abertas, sendo viabilizada muito provavelmente somente para quem já está recebendo o benefício.