Quais as consequências se a empresa ultrapassar o limite do MEI?

Manter uma planilha mensal atualizada é uma boa dica para não cometer esse erro

Nos dias atuais a palavra empreender nunca esteve tão em alta. Com a pandemia, muitos brasileiros se reinventaram e tornaram-se profissionais autônomos ou empreendedores que atuam por conta própria.  Se formalizaram e enquadraram seus negócios através do MEI (Microempreendedor Individual). Além de possuir um CNPJ, o MEI possibilita a emissão de notas fiscais, tem uma menor carga tributária e benefícios previdenciários.

Essas vantagens são bem interessantes, contudo esse tipo de empresa conta com uma limitação de faturamento, o que acaba criando alguns obstáculos para quem precisa ou pretende crescer.

O limite para se enquadrar como microempreendedor é de R$ 81 mil anuais. Contudo, como todos sabem, o faturamento de uma empresa não é algo que está completamente sob controle. Logo, muitos têm dúvidas sobre o que fazer, caso ultrapasse o limite de faturamento. 

Para fazer o cálculo do faturamento é preciso somar os valores faturados mensalmente. Em média, o valor é de R$6.750,00 no caso de uma empresa que tenha estado ativa por doze meses. Mas, claro, este número pode variar a cada mês desde que a soma das receitas mensais não ultrapasse o teto de R$81 mil. 

Ao somar, você detectou que ultrapassou este valor? O que fazer agora? Vamos explicar.

Medidas a serem tomadas ao ultrapassar o limite

Ao ultrapassar os R$ 81 mil reais anuais, será preciso pedir um novo enquadramento para a empresa, que poderá ser tanto para Microempresa (ME), quanto Empresa de Pequeno Porte (EPP), dependendo do faturamento. Mas há uma tolerância de 20% que vamos falar a seguir.

Caso o seu novo faturamento seja de até R$ 360 mil, você pode solicitar o enquadramento para uma Microempresa. Já se o seu negócio fatura até R$ 4,8 milhões, o enquadramento será como Empresa de Pequeno Porte. 

Antes de solicitar o novo enquadramento, é preciso que o empreendedor fique atento às regras.

Faturamento menor que 20% do limite

Caso o seu faturamento não tenha ultrapassado 20% do limite de R$ 81 mil, basta apenas dar entrada no pedido na página do Simples Nacional e recolher o DAS (documento de arrecadação única) normalmente até o final do ano calendário, além de uma DAS complementar em razão do excesso de faturamento. O DAS complementar, no entanto, só será emitido após a transmissão da Declaração Anual do MEI e considera o pedido de alteração como o início para o cálculo.

Quando a empresa passa de MEI para Microempresa ou Empresa de Pequeno Porte, o recolhimento de impostos passa a ser pela regra geral do Simples Nacional.

Além de dar entrada no pedido na página do SIMEI, o empreendedor precisará gerar um código de acesso e justificar o motivo e a data do desenquadramento.

Faturamento maior que 20% do limite

Caso a sua empresa tenha faturado mais do que 20% de  R$ 81mil, o recolhimento dos impostos se dará de forma retroativa, ou seja, desde o início do ano calendário.

Em razão do recolhimento retroativo de impostos, o ideal é evitar atingir esse limite de tolerância para que não haja o recolhimento de mais impostos. Assim, se você ainda não realiza o planejamento financeiro da sua empresa, mesmo sendo um MEI, vale considerar organizar seu faturamento e seu orçamento.

Como fazer para se enquadrar como MEI?

O procedimento de desenquadramento da empresa deve ser feito online, através do site do Simples Nacional. Para que isso ocorra é necessário que o empreendedor gere um código de acesso, além de explicar o motivo do desenquadramento.

Além disso, o empreendedor deve se dirigir à Junta Comercial e apresentar tanto a Comunicação do Desenquadramento, quanto preencher um formulário oferecido pela Junta. O nome da empresa, devido à mudança, também será alterado e adequado às formalidades de uma microempresa ou empresa de pequeno porte.

Conclusão

Ciente de todas as consequências quando extrapola o limite do MEI, uma dica que podemos dar para ajudar a controlar o faturamento  é que você registre mensalmente a receita em uma planilha. Nesta planilha deve constar o faturamento bruto mensal, independente dos custos fixos e variáveis do período.

Caso ache necessário, não deixe de considerar a contratação de um bom profissional de contabilidade para ajudá-lo nessa missão.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

ANA LUZIA RODRIGUES

Comentários estão fechados.