Setembro Amarelo: Saiba como manter a saúde mental dos colaboradores

0

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organiza nacionalmente o Setembro Amarelo.

Mais importante ainda, há a responsabilidade social empresarial envolvida na vida dos colaboradores.

As estratégias para manter a saúde mental devem ser mantidas o ano inteiro.

Doenças como burnout está associada diretamente ao contexto do trabalho, e presente na vida dos funcionários.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio no mundo.

Casos registrados

Calcula-se que aproximadamente cerca de um milhão de casos são registrados no mundo.

No Brasil, os casos passam de 12 mil, mas se sabe que esse número é bem maior devido à subnotificação.

Desse total, cerca de 96,8% estão relacionados a transtornos, como sintomas da depressão e transtorno bipolar.

Um levantamento conduzido pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA destaca os efeitos da depressão.

Cerca de 80% dos adultos depressivos enfrentam alguma dificuldade no trabalho.

“Problemas como estresse e burnout estão preocupando os profissionais de RH, já que isso impacta as taxas de absenteísmo e de engajamento”, afirmou Roberta Perdomo, Consultora de RH da Gestaum Lab.

“Cuidar do bem-estar das pessoas precisa estar na agenda dos líderes.

Ambientes de trabalho tóxicos, com alta pressão por resultados de curto prazo e gestores que não cultivam uma cultura positiva, levam a taxas de turnover até 50% maiores, de acordo com alguns estudos”, continuou.

Responsabilidade social

As empresas têm responsabilidade social sobre este cenário.

A depressão é uma das principais causas de absenteísmo.

Já o presenteísmo é um dos fatores de maior impacto na baixa produtividade e qualidade de uma equipe.

Para a especialista em estratégia de carreira Rebeca Toyama, as empresas precisam redobrar a atenção e o cuidado com os colaboradores.

Ela sobre a decorrência das doenças mentais.

“Planejar como será o momento pós home office será tão desafiador quanto foi organizar o home office na fase mais crítica do isolamento social.

Se já era difícil identificar os sinais e sintomas de um transtorno psicológico em um colaborador presencialmente, imagine agora”, comentou Toyama.

Identificar os sinais

Dificuldades como identificar os primeiros sinais e sintomas podem fazem com que muitas empresas deixem de lado sua responsabilidade social e optem pela demissão do colaborador.

Por outro lado, empresas vêm investindo em programas de prevenção de doenças mentais.

Tais programas identificam e acolhem os colaboradores que apresentem algum sinal de transtorno mental.

Como por exemplo: stress, ansiedade, tristeza, dificuldade de concentração e falta de motivação

Quando uma empresa consegue identificar alguns sintomas em um membro da equipe o ambiente profissional poderá ser de grande valia no incentivo à vida.

E vale lembrar que a postura adequada leva respeito e discrição, evitando julgamentos.

“Como o propósito do Setembro Amarelo é evidenciar a importância de olhar para os casos de suicídios que estão relacionados a um distúrbio mental, o ambiente profissional é um local onde os sintomas podem ser observados e uma empresa consciente pode fazer sua parte investindo em programas de prevenção de doenças mentais, programas de bem-estar ou antiestresse.”, finaliza Rebeca Toyama.

Três sintomas

  • Sintomas cognitivos: esquecimentos frequentes, dificuldade de compreensão e aumento de falhas em questões simples;
  • Sintomas físicos: cansaço, aparência descuidada ou abatida e alteração nos hábitos alimentares como perda de apetite ou perda dela;
  • Sintomas emocionais: aumento da sensibilidade ou irritabilidade e afastamento social.

Ambiente de trabalho seguro

Segundo o Instituto Gallupcolabores preferem o bem-estar no ambiente de trabalho ao invés de incentivos financeiros, o que dá destaque à necessidade de as empresas estabelecerem políticas e programas que promovam o bem-estar e zelem pela saúde mental dos colaboradores.

Para entender como as empresas estão combatendo esse mal, listamos abaixo alguns cases que podem servir de inspiração.

Aplicativo gratuito

O mestre em Ciência da Educação Renner Silva, disponibilizou gratuitamente às empresas um app na qual os gestores podem medir o índice de felicidade corporativa em suas organizações.

A partir do diagnóstico elaborado pela ferramenta, os gestores podem adotar as ações e iniciativas indicadas para restabelecer o equilíbrio e a saúde mental dos trabalhadores.

“De acordo com o diagnóstico, detectamos os pilares mais debilitados e conseguimos propor dois tipos de programa, um para a empresa, baseado nas respostas globais, e outro para o funcionário, baseado nas respostas individuais”, afirma Renner.

Método S.I.M.

Pesquisas ao redor do mundo provam que os colaboradores cientificamente felizes entregam mais e melhor, têm salários mais altos, maior desempenho e redução de até 15 dias por ano em afastamentos por doença ou acidente de trabalho.

O diagnóstico elaborado pelo Método S.I.M. – A Ciência da Felicidade analisa as respostas dos colaboradores em referência a três esferas direta ou indiretamente relacionadas ao trabalho – qualidade de vida, produtividade e clima organizacional.

Respondidas anonimamente pelos trabalhadores, o app fornece à empresa um raio x sobre o estado mental da equipe.

Da mesma forma, oferece aos trabalhadores um diagnóstico completo sobre os pontos que devem receber atenção.

Preservação da saúde mental

Após implementar o trabalho home office para os 220 funcionários, a Sanar, uma plataforma de educação médica, desenvolveu um pacote de ações completo para o time.

Como benefício, a companhia disponibilizou duas sessões de terapia durante a pandemia para cada um dos funcionários.

Além disso, o time também conta com momentos de desenvolvimento profissional, descompressão e lazer.

Os profissionais têm acesso a aula de culinária, yoga, workshop de marketing, meetups online, papo com uma sexóloga e episódios de stand up comedy.

De acordo com o CEO da empresa, Ubiraci Mercês, a empresa já avalia a continuidade para outras ações.

“Sabemos da importância da saúde mental das pessoas, pois só é possível extrair o melhor das pessoas, quando elas estão realmente bem”, comentou Mercês.

Conclusões

Considerada a doença do século pela OMS, a depressão atinge mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, bem como é a principal causa de suicídios no planeta.

A cada ano, estima-se que 800 mil pessoas tiram a própria vida.

Em resumo, a campanha Setembro Amarelo busca criar um ambiente seguro nas empresas.

Sendo assim, colaboradores nessa situação podem se identificar e buscar tratamento adequado para o problema.

Fonte: Fox Manager