Em um anúncio feito ainda no início desse ano, a IDC Brasil previu que mais da metade das empresas que possuem formação de redes de dados deve implementar alguma iniciativa de SD-WAN (Software Defined – Wide Area Network) até o término de 2020.

Isso, segundo o instituto, resultará em um aumento de mais de 70% no uso da tecnologia.Essa é uma demanda que cresce não apenas no Brasil, mas ao redor do mundo, e avança no cenário corporativo à medida que as organizações aderem a novas soluções e aplicações a fim de ganhar mercado e vantagem competitiva. Por quê?

A transição de sistemas e aplicações para um ambiente em Cloud e data centers híbridos são variáveis que contribuem muito para a adoção de uma tecnologia de roteamento inteligente, adaptativa e flexível.

Os links de internet passam a ser as vias principais de acesso aos sistemas em nuvem, portanto o uso eficiente e otimizado deles, com distribuição de carga versátil assim como o gerenciamento de disponibilidade entre os diversos enlaces de comunicação, tornam-se o motor principal das plataformas de SDWAN.

Consequentemente, links MPLS (Multi-Protocol Label Switching) de alto custo começam a ter menos relevância, e as empresas passam a ter maior independência em relação às operadoras.

Ocorre um movimento em que o cliente passa a ser o “dono” do seu “fabric” WAN, usando os links de comunicação apenas como circuitos de transporte, e não de roteamento das suas aplicações, pois este já não ocorre mais no backbone do Service Provider, e sim numa camada superior virtualizada chamada “Overlay”, controlada pelo cliente por meio de uma rede WAN definida por software capaz de rodar sobre qualquer rede de transporte.

Detalho abaixo os principais benefícios que a tecnologia proporciona:

– Redução de custos

Permite o uso de links de menor custo, diminui drasticamente a dependência de links MPLS, além de possibilitar a negociação com um maior número de operadoras, contratando planos mais flexíveis e competitivos.

– Mais disponibilidade e desempenho

Com os mecanismos de orquestração e automação, recursos são mais bem distribuídos, entregando mais performance e modelando a rede WAN com maior resiliência e tolerância a falhas.

– Segurança da Informação

Toda a engenharia de tráfego de dados é feita sobre um overlay criptografado. A tecnologia tem segurança embarcada e proporciona plena visibilidade do ambiente, facilidade de monitoramento, além da possibilidade de agregar novas ferramentas para proteger ainda mais os dados de ações maliciosas.

– Escalabilidade e flexibilidade

Permite ao negócio um Time to Market bem menor e escalar com mais velocidade, reduzindo a ativação de novos sites de semanas para horas junto a uma gestão centralizada, reduzindo significativamente a complexidade operacional.

A tecnologia SD-WAN vem evoluindo cada vez mais se tornando uma plataforma de orquestração e automação para fabrics WAN de provisionamento ágil e intuitivo, flexível e adaptativo aos requerimentos das aplicações de negócio, com foco em experiência, desempenho e disponibilidade.

A sua adoção é ainda potencializada quando acoplada a um Managed Service Provider (MSP) especializado, incorporando boas práticas, desenvolvendo as governanças necessárias para seu máximo aproveitamento e aplicando todos os demais recursos que resultam na gestão de uma infraestrutura mais eficiente e menos onerosa para o negócio.

Por Gerardo Mendel é Sr. Solution Architect da NTT Ltd.