Veja cinco dicas para organizar sua vida financeira

0

Um levantamento realizado pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), mostra que o número de brasileiros com dívidas chegou a 67,5% no mês de abril.

O percentual representa alta de 0,9 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano passado. 

Este é o quinto aumento seguido, com isso, o endividamento no país novamente atingiu a maior proporção da série histórica, a mesma observada em agosto de 2020.

Os dados são da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic Nacional) que é apurada mensalmente pela CNC desde 2010. 

Então, se você é um desses brasileiros e quer sair do vermelho, elaboramos esse artigo com 5 dicas para te ajudar a sair dessa situação de inadimplência sem estresse.

Então, vamos organizar as finanças? Acompanhe! 

CPF

Antes de qualquer coisa, o primeiro passo é fazer uma consulta em seu CPF para saber se existem dívidas negativadas.

Muitas pessoas podem não saber que estão em inadimplência, seja por esquecer de alguma conta, além de situações de inscrição nos órgãos de proteção ao crédito de forma indevida.

Por isso, sempre que possível monitore seu CPF. 

Atualmente, esse serviço é disponibilizado pela internet de forma simples e gratuita. Basta acessar sites destes órgãos, como por exemplo, o Serasa.

Depois de verificar as dívidas e saber o que você está devendo, é hora de saber como limpar seu nome. 

Negociação

O primeiro passo é entrar em contato com as empresas onde você possui dívidas e fazer uma negociação do valor em aberto.

Em alguns casos, as próprias empresas disponibilizam acordos através dos órgãos de proteção ao crédito e que podem ser facilmente aceitas, escolhendo a melhor opção de negociação para o seu bolso. 

Feito isso, é só gerar o boleto para o pagamento que pode ser feito nas agências bancárias, lotéricas ou por meio de aplicativos do banco que você possui conta.

Lembre-se que, existe o prazo de cinco dias para que a empresa retire a dívida do seu nome, portanto, sempre guarde o comprovante de pagamento. 

A restrição permanece, o que fazer?

Se a empresa não cumprir o combinado, a orientação é entrar em contato com a empresa para que ela esteja ciente do pedido de baixa do seu nome da lista de inadimplência.

Caso o pedido também não seja atendido, é seu um direito acionar os órgãos de defesa do consumidor – como o Procon para fazer uma reclamação. 

Designed by @katemangostar / freepik
Designed by @katemangostar / freepik

Saiba ainda que as empresas somente podem negativar seu nome por cinco anos, independente de negociação.

Caso ultrapasse esse prazo e o seu nome ainda continue com restrições ou tenha sido incluído novamente no banco de dados dos órgãos de proteção ao crédito pela mesma dívida, você tem o direito de pedir uma compensação em dinheiro.

Isso é necessário, principalmente, porque a negativação pode trazer sérios prejuízos  para o consumidor.

Mas lembre-se que mesmo após esse prazo a dívida continua existindo, o que não pode acontecer é a negativação do seu nome! 

Negativação Indevida 

Aproveitamos para chamar sua atenção para uma situação bastante comum, que é a negativação do nome em situações que são consideradas indevidas.

Podemos citar como exemplo, uma conta que já foi paga. Esse erro também pode motivar o pedido de indenização. 

Além disso, a restrição pode ocorrer por que um serviço foi contratado sem que o cidadão tenha ciência do mesmo ou ainda, por meio de golpes que utilizam os dados da pessoa, o que resulta em negativação e vários problemas até que se comprove a fraude. 

Planejamento  

Depois de quitar as dívidas, é hora de continuar fazendo o controle das contas e da quantia que você recebe.

Para isso, é importante fazer um planejamento detalhado de tudo o que você ganha e tudo o que você gasta. 

Então, organize o orçamento da sua família em uma planilha, separe as despesas mensais que são necessárias, como alimentação, moradia, educação e outras.

Sempre esteja atento às datas de vencimento destas contas, a fim de evitar o pagamento de juros e multas. 

Esses valores podem ser aplicados de outras maneiras em seu orçamento. Também lembre-se de anotar os demais gastos para saber onde pode economizar.

Uma boa ideia é ter uma fonte de renda extra, para manter esses gastos e fazer uma reserva de emergência.

Através de pequenas economias diárias, você verá como é possível manter as contas em dia e ainda ter orçamento para o lazer da família. 

Por: Samara Arruda