DCTF: O que é e como cumprir essa obrigação?

Aprenda o que é a DCTF e saiba como cumprir essa obrigação fiscal. Se mantenha informado sobre as suas obrigações!

A Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) é uma das obrigações acessórias das empresas, ela deve ser cumprida mensalmente e a empresa que não enviar essa obrigação no prazo pode ser multada.

É importante para contadores e outros diversos profissionais conhecerem as obrigações acessórias das empresas e entenderem como elas funcionam.

Acompanhe este artigo até o final e saiba o que é a DCTF e como a sua empresa pode cumprir essa obrigação.

O que é a DCTF?

A DCTF é uma declaração mensal e tem como finalidade declarar as informações sobre diversos tributos e contribuições, explicaremos melhor como funciona essa obrigação.

Através desta declaração a Receita Federal consegue informações necessárias para realizar o lançamento do crédito tributário e consegue saber a forma que a empresa utilizou para quitar esse crédito.

Devem ser declarados também na DCTF os parcelamentos, compensações ou suspensões de crédito tributário.

Quais são os tributos e contribuições informados nesta declaração?

Veja abaixo quais são os tributos e contribuições informados na DCTF:

  • IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica);
  • IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte);
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou Relativas a Títulos, ou Valores Mobiliários);
  • CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);
  • PIS/Pasep (Programa de Integração Social e para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público);
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);
  • CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira);
  • Cide-Combustível (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e a comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e álcool etílico combustível);
  • Cide-Remessa (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico destinada a financiar o Programa de Estímulo à Interação Universidade-Empresa para o Apoio à Inovação);
  • CPSS (Contribuição do Plano de Seguridade Social do Servidor Público);
  • CPRB (Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta).

Como enviar?

Destacamos que todas as pessoas jurídicas optantes pelo regime de tributação do Lucro Real ou Lucro Presumido, devem realizar mensalmente o envio da DCTF.

Os integrantes do Simples Nacional que tenham a possibilidade de INSS sobre a Receita Bruta também devem enviar essa declaração anualmente.

Unidades gestoras de orçamento de órgãos públicos, autarquias e fundações, consórcios que realizem negócios jurídicos em nome próprio, entidades de fiscalização de exercício profissional e fundos públicos que tenham personalidade jurídica como autarquia também devem realizar o envio.

A DCTF deve ser enviada todo mês, até o 15º dia útil do segundo mês subsequente ao que ocorreu o fato gerador.  

Portanto, se o fato gerador ocorreu em fevereiro, as informações referentes a ele, devem ser declaradas em abril.

A DCTF deve ser elaborada no Programa Gerador da Declaração (PGD), disponibilizado pela Receita Federal. 

Após o arquivo ser gerado ele deve ser transmitido para o Fiscopor meio do sistema Receitanet, para realizar esse processo é obrigatório possuir um Certificado Digital.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.