Gestor de obras: Era da digitalização exige novas habilidades profissionais

Estudo do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) realizado em 2019 apontou o cargo como um dos 30 mais relevantes para o futuro. Na retoma do setor construtivo, saber utilizar novas tecnologias será primordial para alcançar o sucesso.

0

Depois de períodos incertos, a construção civil brasileira vem acumulando dados otimistas. Segundo o IBGE, o setor cresceu 4,4% no terceiro trimestre de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior. O resultado é o melhor desde 2014 e mostra que é hora de empresas e profissionais se prepararem para um novo momento econômico.

E de acordo com Adriana Bombassaro, diretora de Produtos e Serviços da Teclógica, empresa especializada em solução de mobilidade para a construção, a digitalização vai exigir também novos perfis e habilidades dos profissionais. “Há um crescimento constante do uso de novas tecnologias para transformar o canteiro de obras em um ambiente muito mais sustentável economicamente, a fim de reduzir custos e gerar mais eficiência operacional. O uso de sistemas e dispositivos tecnológicos, bem como a contratação de mão de obra especializada fará a diferença no novo posicionamento das empresas que galgam a liderança no setor”, avalia.

Nessa era da digitalização, o gestor de obras tem papel central neste processo de mudança. De acordo com o Senai, este é um dos 30 cargos apontados como relevantes para o futuro, deixando para trás o perfil operacional para tornar-se estratégico dentro da organização.

Tecnologia reforça novo momento

“Nos clientes que utilizam o Mobuss Construção, sistema de gestão para o canteiro de obras, já vemos a ascensão deste novo perfil. Com a digitalização e as informações sobre a rotina da obra na palma da mão, através de dispositivos móveis, ele passa a gerenciar dados em tempo real, otimizando o uso de matérias-primas, mão-de-obra e equipamentos. Também tem sido o responsável por acompanhar o gerenciamento da segurança, com um controle mais efetivo de equipamentos de segurança e, principalmente, verificando a qualidade das obras”, destaca Adriana.

Para Aloísio Arbegaus, diretor Comercial da Teclógica, a gestão administrativa do canteiro vai ocupar cada vez mais espaço na rotina do gestor. “Antes da crescente digitalização este profissional ficava muito mais focado na rotina da obra do que no seu gerenciamento propriamente dito. Isso porque não havia essa possibilidade de gerenciar dados, todo o processo era muito analógico. Agora ele se vê imerso em novas possibilidades para manter a rentabilidade do canteiro, e precisa estar apto a lidar com as novas tecnologias”, comenta.

Além do uso de soluções de mobilidade para gerenciamento das obras, como o Mobuss Construção, outras tecnologias são crescentes na rotina da construção. Entre elas estão o uso de soluções 3D, drones, sensores vestíveis e realidade aumentada, que levam o segmento à era da transformação digital.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta. E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Sobre o Mobuss Construção: Desenvolvido pela Teclógica – especialista em gestão de processos de TI e negócios – o Mobuss Construção é um software de mobilidade para gerenciar os processos construtivos, que proporciona mais controle nas obras, agilidade na interação entre os envolvidos durante todo o processo, redução de desperdício, retrabalho e aumento da rentabilidade das empresas do setor de construção.