MEI: veja como funcionam as contribuições ao INSS

0

Quando o empreendedor formaliza sua empresa, ele passa a ter obrigações que devem ser cumpridas, a fim de garantir a regularidade da empresa.

O mesmo se estende ao Microempreendedor Individual (MEI). Dentre estas obrigações, está o recolhimento de impostos conforme a atividade desenvolvida, além das contribuições pagas à Previdência Social. 

Mas vale ressaltar que isso garante o acesso à benefícios que podem ser solicitados mediante o cumprimento de certos requisitos.

Mas se você é um novo empreendedor, deve estar se perguntando como funciona o recolhimento ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e qual a importância disso para o empreendedor.

Por isso, elaboramos este artigo com as principais informações sobre o tema. Acompanhe! 

Contribuições

As contribuições ao INSS funcionam de forma parecida ao procedimento feito pelos trabalhadores que são regidos pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), no que se refere à função e disponibilização de benefícios.

A diferença é que o MEI é o responsável por emitir o documento conhecido como DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), cujo pagamento deve ser feito até o dia 20 de cada mês. 

No DAS consta o valor dos impostos conforme o ramo de atividade realizada, além da alíquota de 5% do salário-mínimo que é pago ao INSS.

Para este ano, o valor corresponde à R$55. Vale lembrar que em razão da pandemia as parcelas de MEI com vencimento para para os períodos de apuração (PA) 03 a 05/2021 tiveram os vencimentos prorrogados.

O pagamento deve ser feito a partir de julho, segundo a resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional).

Benefícios

Ao fazer o recolhimento em dia, o MEI poderá solicitar benefícios ao INSS. 

Benefícios para o MEI: 

Auxílio-doença: é preciso ter carência de 12 meses e o solicitante deve passar por perícia médica que é agendada pelo INSS;

Salário maternidade: a duração média deste benefício é de 120 dias, mas é preciso cumprir 10 meses de carência. Esse benefício também pode ser solicitado em casos de adoção ou guarda para fins de adoção; 

Aposentadoria: os critérios devem ser observados conforme as regras de transição estabelecidas pela Reforma da Previdência que se refere principalmente, à idade e contribuição mínima para receber o benefício; 

Benefícios para os dependentes:

Auxílio-reclusão: também é pago à família do MEI enquanto estiver na prisão, seja em regime fechado ou semiaberto. Mas é preciso estar com as contribuições em dia;

Pensão por morte: esse benefício é pago à família do MEI, em caso de morte. Mas solicitar é preciso estar em dia com as contribuições previdenciárias; 

Tempo de contribuição 

Falamos sobre acima que as contribuições do MEI garantem o acesso à benefícios, mas você sabia que elas podem ser somadas aos pagamentos que foram feitos antes do empreendedor se formalizar?

Através disso, é possível contar as contribuições anteriores para o período de carência.

Isso pode ajudar o MEI a conseguir se aposentar por idade, assim como para o cumprimento de carência para auxílio-doença, salário-maternidade e aposentadoria por invalidez. 


No entanto, para que o período de contribuição do MEI conte para a aposentadoria por tempo de contribuição, o MEI deverá complementar a contribuição mensal.

Isso é feito mediante recolhimento da diferença entre o percentual pago e o de 20%, acrescido de juros moratórios (§ 3º do art. 21 da Lei nº8.212, de 1991).

A diferença é calculada sobre o valor correspondente ao limite mínimo mensal do salário de contribuição em vigor no mês que haverá o pagamento complementar.

As regras de aposentadoria por tempo de contribuição só se aplicam aos segurados que já contribuíam para a Previdência Social até 13 de novembro de 2019, em razão da EC nº 103/2019.

Baixa da empresa

Você deve estar se perguntando se o MEI que dá baixa em sua empresa perde as contribuições feitas ao INSS.

Então, não se preocupe porque esses recolhimentos feitos enquanto o empreendedor estava formalizado também são somados.

Por isso, ressaltamos novamente que é importante que o MEI esteja sempre em dia com suas contribuições, o que garante praticamente os mesmos benefícios do profissional com carteira assinada.

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Por Samara Arruda