Principais vantagens do Lucro Presumido para sua empresa

Você sabe qual é a melhor alternativa para o seu negócio em relação ao Lucro Presumido? Descubra aqui

0

Escolher entre o Lucro Presumido, Lucro Real ou o Simples Nacional é uma das grandes dúvidas de quem deseja abrir uma empresa.

Afinal, o Regime Tributário impacta diretamente nos lucros de uma empresa. Portanto, essa escolha precisa ser bem avaliada.

Além disso, dependendo do regime tributário que for escolhido, a empresa pode pagar mais tributos do que é devido.

Por outro lado, a escolha do regime certo, pode contribuir para a redução de custos.

Agora, se você quer entender mais sobre o Lucro Presumido e, dessa forma, escolher o melhor regime para a sua empresa, continue lendo esse conteúdo que a Facilite preparou para você.

O que é um Regime Tributário?

O Regime Tributário é um sistema que estabelece a cobrança de impostos de cada empresa, de acordo com sua arrecadação e tipo de negócio. 

Ele ainda orienta a relação com o Fisco e o cumprimento de obrigações das empresas, qeu vão desde o pagamento de tributos até a Escrituração Digital.

O que é o lucro presumido?

O Lucro Presumido é um regime tributário brasileiro, cuja base de cálculo é feita em cima de uma presunção do lucro.

Dessa forma, ao optar por esse regime, uma empresa não precisa comprovar para a Receita Federal o valor do lucro no período do recolhimento dos impostos.

As alíquotas (percentual) de presunção variam de acordo com o tipo de atividade exercida pela empresa, confira:

  • Revenda de combustíveis e gás natural – 1,6%;
  • Serviços Hospitalares e de transporte de cargas – 8%;
  • Indústria e Comércio em geral – 8%;
  • Demais Serviços de Transporte – 16%;
  • Construção Civil e Serviços em Geral 32%;

Nesse regime, as empresas precisam pagar cinco tributos:

  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL);
  • Contribuição para o PIS;
  • Cofins; e
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) ou Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);

Os impostos cobrados trimestralmente, que são o IRPJ e o CSLL, incidem no valor obtido após a aplicação da alíquota de presunção. 

O percentual desses tributos variam conforme a atividade da empresa.

Já os tributos recolhidos mensalmente, possuem as seguintes alíquotas.

  • PIS: 0,65%;
  • COFINS: 3%;
  • ISS para serviços ou ICMS para comércios: 2,5 a 5%, de acordo com seu município.

Quem pode optar pelo Lucro Presumido?

Podem optar pelo Lucro Presumido empresas com receita bruta de até R$ 78 milhões no ano anterior, ou ainda, deve ter uma receita de R$ 6.500 milhões multiplicando os meses em que a empresa esteve em atividade no ano anterior.

Entretanto, seguradoras, bancos e empresas públicas não podem optar por esse Regime Tributário.

Esse regime é indicado, principalmente, para empresas com lucro elevado e que não são obrigadas a se enquadrarem no Lucro Real.

As categorias e áreas que mais optam por esse regime são:

  • Serviços hospitalares;
  • Comércio de mercadorias ou produtos:
  • Advogados;
  • Dentistas;
  • Engenheiros;
  • Entre outros.

Vantagens do Lucro Presumido

A principal vantagem desse regime está no fato dele cobrar os impostos em cima de uma presunção do faturamento e não do lucro real.

Portanto, é um regime muito indicado para empresas de pequeno e médio porte que tenham margens de lucros acima da presunção. 

Assim, uma loja que fatura R$100 mil e tem uma taxa de lucro de 70%, terá os tributos calculados em cima de R$8 mil, pois a alíquota de presunção é de 8%.

Por fim, o Lucro Presumido demanda menos obrigações da empresa, uma vez que não é preciso apresentar o lucro real.

Desvantagens desta segmentação

Agora, se a empresa tem um lucro menor que a presunção ou um prejuízo, ela continuará pagando o IRPJ e CSLL normalmente.

Já as empresas enquadradas no Lucro Real não pagam esses impostos em caso de prejuízos.

Além disso, a empresa que opta pelo lucro presumido não pode aproveitar créditos tributários para deduzir nos pagamentos de PIS e COFINS.

Lucro Presumido x Lucro Real – Qual a diferença?

O Lucro Real é um regime tributário em que os tributos são calculados em cima do valor do lucro líquido.

Ele é obrigatório para seguradoras, bancos e todas as empresas cuja receita bruta é maior que R$ 78 milhões anualmente.

No Lucro Real o IRPJ e o CSLL variam de 24% a 34% (9% + 25%), aplicados sobre o Lucro, e sua apuração pode ser trimestral ou anual.

Além disso, o sistema de apuração e recolhimento de impostos desse regime é mais burocrático.

Além da forma que os tributos incidem sobre o lucro, a grande diferença entre o Lucro Presumido e Lucro Real é o recolhimento de impostos em caso de prejuízo.

No Lucro Presumido, a empresa continua sendo obrigada a recolher os impostos, mas no Lucro Real não.

Quando vale a pena ter uma empresa enquadrada no Lucro Presumido?

Vale a pena ter uma empresa enquadrada no Lucro Presumido quando ela fatura até R$ 78 milhões anuais e/ou você é um profissional liberal, como médico ou advogado.

Se sua empresa está crescendo ou o lucro é maior que a alíquota de presunção, esse regime tributário pode ser, portanto, uma boa opção.

Ficou com dúvida? Não deixe de chamar a central de atendimento da Facilite para te auxiliar a entender todo o processo de maneira precisa.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Facilite Tecnologia Contábil

Imagem: Facilite Tecnologia Contábil