Empresas do Simples Nacional: veja o prazo final de 2 declarações

0

Mesmo sendo considerado um regime de tributação mais simplificado, o Simples Nacional possui obrigações que precisam ser cumpridas para garantir a regularidade das empresas.

Por isso, chamamos sua atenção para o prazo final de entrega de duas importantes obrigações: a Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS) e Declaração Anual do Simples Nacional do Microempreendedor Individual (DASN-SIMEI). 

As informações desses documentos devem ser apresentadas até o dia 31 de maio, assim, a orientação é não deixar para a última hora!

Por isso, elaboramos este artigo com as principais informações sobre estas obrigações. Veja ainda quais empresas devem fazer o envio e em quais casos. 

Simples Nacional

Antes de falarmos sobre as obrigações, é importante saber que o Simples Nacional foi criado com o objetivo de diminuir a carga tributária e a burocracia enfrentada pelas pequenas empresas brasileiras.

Assim, podem optar por esse regime de tributação o Microempreendedor Individual (MEI), cujo faturamento é de R$81 mil anual; além das Microempresas (ME) tendo limite de faturamento de até R$ 360 mil/ano.

Designed by @drobotdean / freepik
Designed by @drobotdean / freepik

Também podem aderir ao Simples Nacional as Empresas de Pequeno Porte (EPP), que possuem receita bruta anual de até R$4,8 milhões e aquelas que cumprem os requisitos de uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli).

Neste caso, a adesão ao Simples está condicionada ao faturamento equivalente à ME ou EPP.

DEFIS

Esta declaração é obrigatória para as seguintes empresas:

  • ME (microempresa);
  • EPP (empresas de pequeno porte) que são optantes do regime de tributação Simples Nacional;
  • Também precisam apresentar as empresas que estão inativas, ou seja, estão sem faturamento no ano-exercício anterior ou alterações patrimoniais.

A exceção para a apresentação da DEFIS é o Microempreendedor Individual (MEI). Sendo assim, através da DEFIS, os órgãos tributários fazem a fiscalização das pessoas jurídicas no que se refere ao pagamento dos tributos estaduais e municipais.  

Elaboração 

Para fazer a DEFIS, reúna todas as informações financeiras da empresa como receitas,  lucros, despesas, quantidade de empregados; participação dos sócios no capital social da empresa; ganhos líquidos, além de doações para a campanha eleitoral.

Depois, acesse o PGDAS (Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional), através do portal do Simples Nacional.

Escolha o tipo de declaração e registre todos os dados da empresa. Feito isso, envie o arquivo.

Saiba que a empresa que não fez o envio da sua declaração no ano-calendário anterior, fica impedida de apresentar a declaração neste ano.

Portanto, é necessário regularizar a situação de inadimplência, o que pode ser feito através do sistema próprio sistema PGDAS-D. 

DASN-SIMEI

Vimos acima que o MEI (microempreendedor individual) não está entre as empresas que precisam apresentar a DEFIS. Mas essa categoria não fica isenta de uma obrigação: o envio da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI).

Através desta obrigação, o empreendedor informa à Receita Federal as receitas do MEI no ano-calendário anterior. 

No caso do MEI, o limite de faturamento é de até R$ 81 mil  anual, então, essa informação precisa constar na declaração anual a fim de comprovar à Receita Federal que sua empresa está regular.

Além disso, também é informada a contratação de um empregado, se houver.

Envio da declaração 

Diferente da DEFIS, o envio da declaração do MEI é feito através do Portal do Empreendedor, onde todos os procedimentos do MEI são realizados.

O acesso está sendo feito através do Portal gov.br. Então, depois de acessar a plataforma siga os seguintes passos:

  • Busque pela opção “DASN-SIMEI – Declaração Anual para o MEI”, 
  • A partir disso, é necessário informar todos os dados e valores obtidos pelo MEI;
  • Confirme o envio;

Caso você tenha deixado de enviar a declaração do ano anterior,saiba que é necessário regularizar sua situação antes de apresentar o DASN-SIMEI em 2021.

Lembre-se ainda que, deixar de cumprir com esta obrigação traz certos prejuízos à empresa. Uma delas é o impedimento da emissão do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que precisa ser pago mensalmente e se refere aos seguintes impostos do MEI:

  • INSS (Instituto Nacional do Seguro Social);
  • ISS (Imposto Sobre Serviços);
  • ICMS (Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação).

Além disso, também incide multa por atraso no pagamento do DAS, que é de R$ 50,00 ou de 2% ao mês sobre o total de tributos das informações prestadas, sendo limitada a 20%. 

Neste caso, o empreendedor é considerado inadimplente e perde os benefícios, principalmente relacionados à cobertura previdenciária.

O CNPJ do empreendedor também pode ser suspenso. Se persistir nesta situação e houver débitos em aberto, é feita a baixa do MEI. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.
Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda