O que é essencial saber sobre a aposentadoria por invalidez?

Confira o que é necessário saber sobre a aposentadoria por invalidez, para concessão ou manutenção do benefício. 

Se engana quem pensa que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) trabalha com apenas uma regra de aposentadoria. Isto porque, além de conceder diferentes modalidades do benefício, a autarquia é responsável por intermediar outros diversos proventos, de natureza previdenciária, assistencial e trabalhista. 

Hoje falaremos sobre um dos tipos de aposentadoria disponíveis ao segurado, conhecida como aposentadoria por invalidez. Em suma, o benefício é voltado aos cidadãos que ficaram incapacitados de trabalhar, devido à alguma doença ou acidente ligado à atividade ou de qualquer natureza. 

A também chamada aposentadoria por incapacidade permanente, costuma ser alvo de algumas polêmicas, a respeito de suas regras, quando o assunto é permanecer nas funções de trabalho, ao mesmo tempo que recebe o benefício. Diante disso, o intuito deste artigo será esclarecer esta e mais algumas normas atreladas à concessão e manutenção do provento por invalidez. 

Requisitos para se aposentar por invalidez

Previamente é necessário compreender quem tem direito a aposentadoria por invalidez. Em resumo, o pedido do benefício é concedido ao segurado que atende as seguintes condições.

  • O principal critério aponta que a aposentadoria somente será concedida, caso o segurado esteja incapacitado permanentemente de trabalhar. Caso a condição seja considerada temporária pelo médico perito, o cidadão será direcionado ao auxílio-doença
  • É necessário possuir a qualidade de segurado do INSS. Este requisito diz respeito à filiação junto ao instituto, garantida a quem está contribuindo mensalmente com a previdência, ou à segurados em período de graça; 
  • Por fim, o segurado também deverá cumprir com a carência exigida neste tipo de aposentadoria. Em suma, é necessário ter, ao menos, 12 contribuições mensais junto à previdência. Em alguns casos esta regra será dispensada.  

Sobre a necessidade ou não do cumprimento da carência, a obrigatoriedade de possuir 12 meses de contribuição junto ao INSS, será dispensada, basicamente, em três casos, são eles: 

  • Doenças ocupacionais (aquelas ligadas ao trabalho); 
  • Acidentes de trabalho ou de qualquer natureza; 
  • Doenças graves, a exemplo de enfermidades como câncer, cegueira, AIDS, cardiopatia grave, alienação mental, parkinson, dentre outras moléstias altamente incapacitantes. 

Como funciona a comprovação da incapacidade

Para que seja constatado a presença da incapacidade permanente, e consequentemente o direito à aposentadoria por invalidez, o segurado deve passar pela perícia médica do INSS, que será realizada por um profissional capacitado do instituto. 

Nesta linha, a comprovação da invalidez ocorrerá através da análise do médico perito, a respeito da condição do indivíduo e da documentação que irá atestar a existência da incapacidade. É recomendado reunir o máximo de documentos possíveis, de modo a aumentar as chances de êxito no processo. 

Veja alguns documentos médicos que podem ser apresentados: 

  • Atestado médico; 
  • Laudos médicos; 
  • Exames; 
  • Receituários de medicamentos; 
  • Relatórios feitos pelo profissional. 

Posso trabalhar após me aposentar por invalidez?

É possível que uma pessoa deseje continuar exercendo alguma atividade laboral após se aposentar. Em outras categorias do benefício, isto é perfeitamente permitido, não havendo nenhum impedimento quanto ao trabalho. 

No entanto, para aposentados por invalidez, o cenário é outro, visto que o cidadão não poderá retornar às atividades de trabalho, caso ele volte, os pagamentos do benefício serão cessados. 

Em suma, isto ocorre, pois, a aposentadoria por invalidez tem como critério primordial a incapacidade permanente de trabalhar, ou seja, enquanto a invalidez existir, constata-se que o segurado não possui condições de realizar suas atividades laborais e, justamente, devido a isso ele é aposentado.

Além do cessamento do benefício, o aposentado por invalidez que voltar ao trabalho, pode ser obrigado a devolver os valores recebidos através do benefício, incluindo a correção monetária. Por fim, vale enfatizar, para manutenção da aposentadoria, a pessoa não pode: 

  • Trabalhar de carteira assinada; 
  • Trabalhar de maneira informal; 
  • Trabalhar de maneira autônoma, seja como sócio ou titular do negócio. Modalidades empresariais também são consideradas trabalho. 

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.