Saldos iniciais na contabilidade: saiba como funcionam

0

Podemos dizer que os saldos iniciais se tratam de um dos conceitos contábeis mais relevantes para as empresas. Eles estão diretamente ligados à formação do balanço patrimonial, assim como outros relatórios necessários para  garantir a saúde financeira da sua empresa. 

Eles estão presentes desde o início da atividade empresarial, mas para que você entenda melhor, esse termo se refere a todos os valores que estão disponíveis nas contas da empresa. Ter essa informação é importante principalmente quando há transição dos períodos contábeis.

Assim, é possível verificar os efeitos das transações, eventos e políticas contábeis do período anterior. Por ser um tema de conhecimento obrigatório para qualquer contador, elaboramos esse artigo para falarmos sobre como funciona os saldos iniciais, além de sua aplicação no balanço patrimonial e mais. Confira!

Como são demonstrados?

Os saldos iniciais devem ser contabilizados corretamente, para que demonstrem a real situação financeira da sua empresa. Sendo assim, a contabilidade dos saldos iniciais ocorre no início das atividades da empresa, quando temos dois tipos de contas: o capital que é alocado pelos sócios e o dinheiro em caixa.

Designed by @tonefotografia / freepik
Designed by @tonefotografia / freepik

Desta forma, as informações relacionadas aos saldos iniciais podem ser verificadas por meio de balancete ou balanço patrimonial e utilizadas na linha de frente para que o profissional escriture os lançamentos contábeis da entidade no próximo ano.

Quando são utilizados?

Os saldos iniciais serão utilizados nas hipóteses previstas pelas Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria Independente, que são estabelecidas pela NBC TA 510. É válido destacar as principais situações em que os saldos iniciais são necessários e ajudam nas atividades contábeis do negócio: 

Início da empresa: destacamos acima que os saldos contábeis estão presentes no começo das atividades da empresa, pois, ao registrar o empreendimento é feita contabilização dos saldos iniciais que corresponde à soma do capital social que foi integralizado pelos sócios e os valores disponíveis em caixa.

Ano contábil: os saldos iniciais também estão presentes durante a transição entre exercícios financeiros, que é quando a empresa faz o encerramento do ano contábil verificando o saldo em conta e fazendo a transferência do montante para ser utilizado no exercício seguinte. 

Também é possível que você analise os saldos iniciais caso seja preciso fazer a transferência da contabilidade entre escritórios e empresas contábeis para outros prestadores, será preciso verificar os saldos iniciais por aqueles que irão assumir a contabilidade da empresa. 

Neste caso, a data do registro dos saldos das contas contábeis vindas de balancete/balanço patrimonial precisa ser referente à data de encerramento constante na demonstração contábil. Lembre-se que o contador não pode efetuar lançamento de Saldos Iniciais com a data do início da sua responsabilidade.

Diante disso, o profissional que fechou um contrato a partir de 01/10/2018 e tenha recebido um balancete da empresa datada entre 01/01/2018 à 30/09/2018, deve lançar os saldos iniciais com a data de 30/09/2018, e iniciará os lançamentos e escriturações contábeis e fiscais que são de sua responsabilidade a partir de 01/10/2018.

Registros 

O registro dos saldos iniciais é feito através de uma conta de balanço de abertura, ou ainda por meio de lançamentos contábeis com créditos e débitos. Então, considere o seguinte exemplo: 

Um contador irá prestar serviços para uma empresa, tendo como data início o mês de janeiro de 2021. Então ele irá verificar o balanço patrimonial da empresa que no mês de dezembro, está da seguinte forma: 

Patrimônio líquido da empresa: R$ 32 mil referente ao capital social;

Ativos

  • Estoques: R$ 75 mil;
  • Móveis: R$ 10 mil;
  • Dinheiros em bancos: R$ 8 mil;
  • Dinheiro em caixa: R$ 4 mil;
  • Depreciação dos bens: R$ 1 mil.

Passivos

  • Fornecedores: R$ 15 mil;
  • Folha de pagamento: R$ 12 mil;
  • Tributação: R$ 2 mil.

Lucros apurados: R$ 35 mil.

A partir destas informações, o escritório o registro contábil da empresa será a seguinte:

  • Caixa: R$ 4 mil;
  • Bancos: R$ 8 mil;
  • Bens aplicados na prestação do serviço: R$ 75 mil;
  • Móveis, instalações etc.: R$ 10 mil;
  • Depreciação acumulada R$ 1 mil;
  • Fornecedores: R$ 15 mil;
  • Salários: R$ 12 mil;
  • INSS: R$ 2 mil;
  • Capital subscrito: R$ 32 mil;
  • Acumulação dos lucros: R$ 35 mil.

Tendo feito os lançamentos, verificou se a situação da empresa está da seguinte forma: débitos: R$ 97 mil e quantidade de créditos: R$ 97 mil. O saldo final é igual a zero, o que significa que os valores foram registrados corretamente.

Por isso, voltamos à destacar a importância dos saldos iniciais, o que garante a análise dos dados para elaboração de relatórios, além de ser necessário que o contador saiba aplicar os métodos e os conceitos corretos para acompanhar as informações de sua empresa.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda