Simples Nacional: veja 4 vantagens desse regime

As vantagens oferecidas pelo regime podem te auxiliar no crescimento e desenvolvimento da sua empresa

0

Para abrir uma empresa no Brasil é necessário escolher o regime de tributação mais apropriado para o seu negócio. Dentre eles, está o Simples Nacional que foi criado em 2006 para facilitar a formalização de micro e pequenas empresas. 

Mas você sabia que aqueles que optam por esse regime podem contar com várias vantagens?

Elas podem te auxiliar no crescimento e desenvolvimento da sua empresa, então, se você ainda não sabe quais são essas vantagens continue conosco e entenda como o seu empreendimento pode se beneficiar.

Regras do Simples 

Antes de conhecermos as vantagens do Simples Nacional, saiba que para solicitar à adesão à este regime é preciso estar atento ao porte da empresa e seu faturamento.

simples nacional
Simples Nacional

Isso é necessário visto que não são todas que podem se enquadrar no Simples Nacional, diante disso veja a seguir quais empresas podem aderir:  

  • ME (Microempresa): faturamento máximo de R$ 360 mil/ano;
  • EPP (Empresa de Pequeno Porte): sua receita bruta anual fica entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões;
  • Eireli (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada): sua adesão ao Simples está condicionada ao faturamento equivalente à pequena empresa, registrando-se como ME ou EPP; 

Pagamento de impostos

A primeira vantagem desse regime, está relacionada à cobrança de impostos.

Mas você deve estar se perguntando porque isso é uma vantagem, então saiba que, no Simples Nacional os impostos são pagos através de uma única guia chamada DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Nela estão os seguintes tributos:

  • Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins); 
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Imposto sobre Serviços (ISS);
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP).

Assim, em vez de ter que pagar uma guia para cada tipo de imposto, como acontece em empresas de outros regimes, o empreendedor precisará apenas fazer o recolhimento mensal através do DAS que deve ser pago até o dia 20 de cada mês. 

Tributação

Ainda em se tratando dos impostos, outra vantagem é a forma de tributação no Simples Nacional, que possui uma tabela com cinco anexos e cada um possui faixas de alíquotas diferentes e mais reduzidas.

Elas são utilizadas para calcular o faturamento do negócio, conforme o setor de atuação. Conheça os anexos a seguir:

  • Anexo I – Participantes: empresas de comércio (lojas em geral);
  • Anexo II – Participantes: fábricas/indústrias e empresas industriais;
  • Anexo III – Participantes: empresas que oferecem serviços de instalação, de reparos e de manutenção;
  • Anexo IV – Participantes: empresas que fornecem serviço de limpeza, vigilância, obras, construção de imóveis, serviços advocatícios;
  • Anexo V – Participantes: empresas que fornecem serviço de auditoria, jornalismo, tecnologia, publicidade, engenharia, entre outros;

Obrigações acessórias 

As vantagens se estendem ainda à contabilidade das empresas que aderem ao Simples Nacional. Diferente de outros regimes, elas possuem menos declarações, o que facilita na gestão do negócio. Dentre as obrigações que devem ser cumpridas, estão: 

  • DEFIS: na Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais constam as informações básicas sobre as finanças e impostos de uma empresa e, por isso, deve ser apresentada anualmente;
  • DIRF: a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte, tem como objetivo retornar os valores do empreendimento que, por sua vez, foram retidos na fonte.
  • DESTDA: é a Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação e reúne informações sobre o negócio, iniciando pela distinção do Diferencial de Alíquota entre os Estados de destino e origem;
  • eSocial: se trata do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, e reúne dados sobre os colaboradores da empresa;

Facilidade de Regularização 

Quando há pendências relacionadas aos impostos em atraso, as empresas do Simples Nacional podem ser penalizadas, o que traz sérios prejuízos ao negócio.

Então, para facilitar a regularização, a Receita Federal disponibiliza o parcelamento e a apuração de débitos. Mas saiba que existem dois tipos de parcelamento:

  • os especiais, cujo prazo é estabelecido por meio de edital estabelecidos pelos órgãos responsáveis como a Receita Federal ou a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN);
  • o convencional: que pode ser solicitado a qualquer tempo. Para isso, basta acessar o Portal do Simples Nacional.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.